Adam Lambert
O cantor norte-americano Adam Lambert (FOTO: Reprodução)
Recentemente o cantor Adam Lambert deu uma entrevista onde comentou sobre a expectativa em torno do seu novo álbum em estúdio.

Lambert que já transitou entre o electropop, funk, rock e também house music nos últimos álbuns, comentou que após passar anos fazendo turnês como vocalista do Queen, agora existe uma audiência “para quem ele realmente é”.

Na edição Pride inaugural da Billboard, o artista comentou que seu quarto álbum em estúdio é diferente do disco anterior.

“É definitivamente uma diferença do que eu fiz no ‘The Original High’”, diz Lambert. “É difícil resumir neste momento porque eu ainda estou meio que organizando tudo. Em termos de som, eu ainda estou explorando, mas eu acho que a coisa mais geral que posso dizer é que é um pouco mais orgânico e é um pouco mais retrô. Se você está falando de gênero, há um pouco de tudo – tem um toque de rock n’ roll, tem funk, composições própria, um pouco de blues, e tem muito mais soul. Parece mais clássico mas ainda há um toque moderno em tudo” explicou o cantor.

Na entrevista à revista, o artista também comentou um dos momentos mais polêmicos da sua carreira quando fez uma apresentação homoafetiva no palco do “American Music Awards” há nove anos atrás.

Vale lembrar que o Parents Television Council (“Conselho de Televisão para os Pais”) na época, se manifestou publicamente condenando a apresentação e na manhã seguinte a emissora ABC cancelou uma aparição do cantor no “Good Morning America”.

O cantor Adam Lambert em apresentação no AMA Awards (FOTO: Youtube)

“Este foi o grande obstáculo que tive logo depois do Idol”, recorda Lambert. “Não foi algo premeditado onde eu estava pensando, ‘ooh eu vou irritar todo mundo.’ Eu realmente não estava pensando isso, eu estava tipo, ‘ok, essa é minha música, é uma música muito sexy, e eu vou ter dançarinos e é isso que eu quero fazer.’ Eu sabia que as pessoas iriam notar, mas eu não sabia que ia ser, tipo, que as pessoas ficariam bravas. Eu não sabia que as pessoas iam se sentir traídas. Eu só esperava que se surpreendessem, sabe? O tipo de reação que minhas estrelas pop favoritas tiveram por esse tipo de coisa por anos, e é por isso que eu fiquei meio confuso – eu fiquei tipo ‘espere, por que eu não posso fazer isso quando eu já vi isso acontecer? Eu não entendo” explicou o cantor.

Em 2009, o cantor revelado no reality show American Idol chegou a ir a um canal concorrente da ABC comentar a censura que ele teve na manhã seguinte à sua polêmica apresentação.

“Eles me perguntaram sobre isso e eles mencionaram o beijo da Madonna/Britney/Christina [no VMAs de 2003]. E eles mostraram um clipe daquele beijo. E depois, logo após esse clipe, eles mostraram um clipe meu beijando o cara que eu beijei – e eles embaçaram nossas bocas. Eles foram ao comercial depois disso e eu olhei para eles e disse: ‘que p**** é essa?’ E eles disseram ‘o que?’ E eu disse, ‘você acabou de ilustrar o meu ponto de vista de que há um padrão duplo, por que estamos falando sobre isso? Veja o que você acabou de fazer. É porque sou um homem? É porque sou um artista novo? É porque eu estava em um show onde as pessoas votaram [por mim]?” explicou.

O vocalista afirma agora ver o mundo de hoje mais receptivo à representação LGBTQ.

“Eu posso garantir que é cem por cento diferente hoje”, diz ele. “Foram dados pequenos passos que se transformaram em passos maiores. Mas nove anos atrás, era um contexto muito diferente” explicou.