katy perry
A cantora norte-americana Katy Perry (FOTO: Reprodução)

Os compositores de “Dark Horse” da cantora Katy Perry divulgaram um comunicado chamando uma recente decisão jurídica dos EUA de “paródia de justiça”. O time responsável pela canção foi condenado em um processo de plágio após ter supostamente infringido os direitos autorais da música “Joyful Noise”, da banda Flame, em uma decisão que culminou no pagamento de uma indenização de 2,78 milhões de dólares.

“Os compositores de Dark Horse vêem os veredictos como uma paródia da justiça”, diz a declaração. “Não há violação. Não houve acesso de similaridade substancial. A única coisa em comum é a expressão desprotegida – notas “C” e “B” uniformemente espaçadas – repetidas. Pessoas, incluindo musicólogos de todo o mundo estão expressando seu desânimo por isso“.

“Vamos continuar a lutar em todos os níveis apropriados para corrigir a injustiça”, conclui a declaração, sugerindo que, como esperado, um apelo está prestes a acontecer e que eles recorrerão da decisão.

A declaração foi emitida pelo advogado de Perry, o jurista Christine Lapera, em nome dos compositores, que são os produtores Dr. Luke (Lukasz Gottwald), Cirkut (Henry Walter) e Max Martin (Karl Sandberg); o rapper Juicy J (Jordan Houston); e letrista Sarah Hudson.

VEJA TAMBÉM: Filha de Elvis Presley lançará livro com “revelações chocantes” sobre Michael Jackson

Os jurados no caso dos direitos autorais chegaram a um julgamento de que Perry deveria pagar ao rapper cristão Flame (Marcus Gray) 550 mil dólares depois de determinar que o hit de 2013 plagiou a canção de 2008 “Joyful Noise”. A gravadora Capitol será responsável por pagar a maior parte dos $ 2,78 milhões de dólares de indenização.

Os advogados de Marcus Gray e seus co-autores pediram quase US $ 20 milhões na fase de indenização do julgamento, que começou na terça-feira, após a primeira fase em que o júri decidiu que a música de Gray havia sido copiada. Os advogados de defesa argumentaram que 360 mil dólares eram um valor razoável.

“Esses acusados fizeram milhões e milhões de dólares com sua violação dos direitos autorais do autor”, disse o advogado de Gray, Michael A. Kahn, no tribunal. O advogado dos réus, Aaron M. Wais, afirmou: “Eles não estão buscando justiça. Eles estão procurando obter o máximo de dinheiro possível”.

Os autores do processo alegaram que “Dark Horse” de Katy Pery foi responsável gerar US$ 31 milhões à gravadora Capitol, contando não apenas os lucros do próprio single, mas o álbum e DVD ao vivo em que apareceu. A Capitol contestou essa contabilidade e sustentou que, após as despesas de produção e promoção, os lucros da gravadora com a música eram de apenas 650.000 dólares.

O advogado de Gray ainda argumentou que “Dark Horse” foi responsável por praticamente todo o sucesso do álbum “Prism” de Katy Perry e seus outros desdobramentos, enquanto a Capitol tentou defender que, como uma das 13 músicas do álbum (ou 16 no álbum da edição de luxo), os ganhos do álbum devem ser divididos por muitos números.

Vale lembrar que esse processo pode levar meses ou anos, como o apelo parece provável. Uma moção dos advogados de Perry, solicitando que a juíza distrital americana Christina Snyder decida que nenhum júri razoável poderia encontrar violação de direitos autorais com base nas provas apresentadas no julgamento, ainda está pendente. Se Snyder ficar do lado de Perry, a decisão sobre os danos é discutível.