nego do borel
O funkeiro carioca Nego do Borel (FOTO: Reprodução)

A Justiça do Trabalho finalmente conseguiu intimar Nego do Borel em um show dele no dia 7 de setembro, no Centro do Rio. Um oficial de Justiça chegou a entregar, às 23h59, momentos antes de o cantor subir ao palco, uma carta de citação com seu nome em um processo trabalhista movido pelo ex-bailarino Bruno Serafim.

A esquisita decisão de intimar o funkeiro durante um show foi tomada depois tentativas em vão de entregá-lo em sua casa no Recreio e no endereço do escritório dele, no Morro do Borel. Na ação, o ex-dançarino de Nego do Borel cobra do ex-patrão seus direitos trabalhistas após três anos na equipe de dança do artista.

Na última terça-feira, o músico foi indicado ao Grammy Latino em uma das categorias do prêmio dedicadas ao mercado musical brasileiro. O polêmico videoclipe do hit “Me Solta” foi indicado na categoria “Melhor Vídeo Musical Versão Curta” do GRAMMY Latino. 

O clipe gerou polêmica na época de seu lançamento pelo fato de trazer um beijo gay, o que segundo alguns fãs teria sido oportunista se apropriar de tal ato de amor apenas para divulgar uma nova música.

O PROCESSO

Na verdade, a bruxa parece estar solta quando o assunto é Nego do Borel. Após, ter problemas na Justiça sendo pego na Lei Seca e ser condenado a pagar uma indenização a um motorista de UBER que teria insultado, agora o músico foi intimado durante sua apresentação num show para comparecer a uma audiência na Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro.

Segundo informações da colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, Nego do Borel não vem sendo encontrado em seu endereço, num condomínio luxuoso no Recreio dos Bandeirantes, e, agora, os oficiais vem tentando encontrar uma maneira mais radical para encontrar o cantor.

“Como o endereço da NB Produções (empresa de Nego que está sendo processada) é no Morro do Borel, quando precisamos citar a empresa no processo através da intimação, a gente não consegue. O oficial de Justiça não entra na comunidade por conta do tráfico e da violência. Como a gente não consegue citar dessa forma, achamos a solução de citar a empresa na pessoa do sócio (Nego do Borel). Descobrimos o endereço dele no Recreio, mas quando o oficial de Justiça bateu lá na portaria, disseram que não tinha nenhum morador com esse nome lá. Ou seja, ele (Nego) orientou os funcionários para não ser intimado. Mas agora fomos pesquisar e achamos uma data de um próximo show dele aqui no Rio, e o oficial vai intimá-lo por lá”, informou o advogado Marcelo Camello.

O jurista afirma que é um ex-bailarino de Nego do Borel, chamado Bruno Serafim, que está processando o funkeiro. O artista pede seus direitos trabalhistas depois de passar três anos prestando serviços ao músico. O profissional acabou sendo demitido e agora tenta cobrar seus direitos assegurados por lei. A primeira audiência do processo acontecerá no dia 3 de outubro. Mas, para que a cerimônia aconteça, o funkeiro precisa ser citado através da suposta intimação.

Recentemente, o funkeiro lançou uma nova parceria com Wesley Safadão intitulada Ding Dom.