billie eilish
A cantora norte-americana Billie Eilish (FOTO: Reprodução)

De acordo com o jornal Daily Mail, Billie Eilish, uma dos maiores revelações da música atual, contou ter cogitado o suicídio em 2018, quando tinha 16 anos. A jovem revelou o drama vivido por ela em entrevista inédita para Gayle King, exibida pelo programa Sunday Morning, da CBS.

Durante uma visita à casa dela e de seu parceiro musical e irmão, Finneas O’Connell, o bate-papo se concentrou no quarto do rapaz, onde as músicas dela ainda são criadas, além de uma análise da carreira pela própria Billie.

Durante o franco bate-papo, Billie, agora com 18 anos, expôs alguns pensamentos suicidas que já teve no passado faltando poucos dias para o Grammy 2020, premiação na qual ela concorre em seis categorias e fará uma apresentação.

Eu estava muito infeliz. Eu estava muito infeliz e sem motivações. Não quero ser muito sombria, mas eu realmente acreditava que não chegaria aos 17 anos”, explicou Billie Eilish a respeito da explosão na carreira e a batalha contra a depressão e ansiedade.

VEJA TAMBÉM: Irmã gêmea? Garota idêntica à Anitta viraliza na web e ganha milhares de seguidores

A jovem também explicou que “ninguém que me conhece acha que eu sou uma pessoa sombria” apesar de suas músicas e composições mais melancólicas. “Eu não me considero sombria tanto assim. Estou rindo o tempo todo”, assegurou.

Recentemente, foi anunciado que Billie Eilish entrou para o seleto grupo de cantores que já interpretaram uma música da franquia James Bond. A jovem ficará responsável por escrever e gravar a nova música tema do novo filme de James Bond, 007 – Sem Tempo Para Morrer. Assim, ela se tornou a pessoa mais jovem a conquistar tal feito.

Na última semana, ela e seu irmão lançaram o novo clipe de “everything i wanted” onde a cantora volta a abordar temas como suicídio e depressão inclusive, em uma impactante cena onde decide acelerar e afundar um automóvel nas águas de uma praia.

Suicídio

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero.

Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde). No Brasil, uma pessoa morre por suicídio a cada hora, enquanto outras três tentaram se matar sem sucesso no mesmo período.

O assunto é tão complexo que muitas pessoas evitam falar a respeito, o que nem sempre é a melhor decisão. Um problema dessa magnitude não pode ser negligenciado, pois sabe-se que o suicídio pode ser prevenido.

Uma comunicação correta, responsável e ética é uma ferramenta importante para evitar o efeito contágio.