As irmãs Maiara e Maraísa (FOTO: Reprodução)
As irmãs Maiara e Maraísa (FOTO: Reprodução)

O colunista Anderson França se manifestou nesta quarta-feira (dia 22) depois de ter uma caricatura retirada da sua coluna publicada ontem no site do jornal Folha de S. Paulo. Na imagem, a dupla sertaneja Maiara e Maraisa aparece usando uma braçadeira com a suástica nazista.

As cantoras se manifestaram com uma nota de repúdio declarando serem a favor da liberdade de expressão. Através de uma postagem no Facebook, o colunista Anderson França criticou a postura das irmãs e afirmou que elas se identificaram com o conteúdo publicado na caricatura.

“A nota medíocre que me foi entregue é ruim, de raciocínio, de proposta, de argumento e mesmo jurídica”, afirmou. “A Folha, dentro da liberdade que tem, tirou do ar o desenho, e conversaram comigo. Mas a Folha fez isso, segundo os seus critérios. Eu não faço. Pelo contrário, o desenho já ganhou o mundo. Haja dinheiro pra processar todo mundo que vai usar esse que já virou um clássico.”

Vocês estão com tanto medo de serem despidas em público, que ao olhar uma charge, pensam que estão se vendo num espelho. Vocês se viram ali. Eu não escrevi o nome de vocês. Mas vocês se viram“, acrescentou.

VEJA TAMBÉM: Gusttavo Lima bebe demais e revela que passa horas “chupando periquita” da esposa

O colunista ainda argumentou que o silêncio das cantoras em relação ao infeliz episódio envolvendo o ex-secretário da Cultura (Roberto Alvim) é uma forma das cantores apoiarem tal discuso.

O silêncio de vocês, é apoio. Apoio consciente. Ao projeto de poder de Bolsonaro. Aos princípios de Bolsonaro. Ao projeto de país de Bolsonaro. Ao racismo, sexismo, homofobia, ódio a pobre, de Bolsonaro. Ao nazismo presente no fazer ideológico de Bolsonaro. Bolsonaro representa César. Bolsonaro representa Roma. O poder das Trevas, diluído no Estado, para legitimar uma opressão aos pobres, sustentado pela religião“, disse.

Anderson França também criticou um posicionamento que ele chama de neutro adotada pelas cantoras na nota de repúdio publicada ontem.

Ou você usa a arte para transgredir pelo povo, ou você é braço auxiliar do poder que oprime o povo. Essa neutralidade que vocês buscam nessa nota de repúdio feita de maneira nojenta, não existe. Vocês não são neutras. Vocês sabem o que querem. Dinheiro. Não importa o que custe, e quantas vidas custe. Mesmo que estejamos falando da vida dos judeus“, afirmou.

Nomes importantes da música sertaneja se manifestaram a favor das irmãs criticando o teor da provocação feita pelo colunista. De maneira breve Marília Mendonça e também Gustavo Mioto, Lucas Lucco se posicionaram contra a charge publicado pelo jornal Folha de SP. Reduto com tendência bolsonarista, o gênero sertanejo foi considerado o ritmo que mais flertou e influenciou Jair Bolsonaro nas últimas eleições presidenciais.