rashid
O músico Rashid (FOTO; Reprodução)

Rashid chega ao seu sétimo trabalho solo com o disco Tão Real, álbum que fora lançado como um projeto audiovisual – separado por três temporadas. Como uma série, o projeto possui além das canções, videoclipes, spin offs e podcasts – ambos já estão liberados em todas as plataformas digitais. I

niciado em 2019, a obra “Tão Real” fora finalizada e entregue ao público em janeiro de 2020. Desta última leva de faixas, o rapper disponibilizou 6 novos hits – dentre eles, duetos com Emicida e Tuyo. Vale lembrar que ainda neste ano o rapper sobe ao palco do Lollapalooza para uma performance eletrizante. Em entrevista ao Observatório de Música, Rashid falou sobre os preparativos para o festival e muito mais. Confira:

– Rashid, chegando ao fim do projeto “Tão Real”, o que de fato você conseguiu nos transmitir? O que este disco significa para você neste momento da carreira?

R: Antes desse álbum, meus dois últimos lançamentos foram um disco que foi muito bem recebido pela crítica e que figurou na maioria das listas de melhores do ano – o álbum A Coragem da Luz (2016) -, e outro que foi o meu maior sucesso em termos de números e com meu primeiro single a entrar nas rádios – o CRISE (2018). Então havia um desafio aí, uma grande interrogação sobre o que viria na sequência.Aí surgiu a ideia do Tão Real, que é um disco que fala muito mais comigo mesmo do que os todos os outros. Esse trabalho sugere um encontro comigo, um momento de redescoberta, isso na parte pessoal, nas entrelinhas.Musicalmente, eu queria expandir o universo que eu havia adentrado nos últimos trabalhos, trazer um pouco mais de melodias, refrões mais grandiosos, temáticas que explorassem partes da minha vida que eu ainda não havia trazido à tona e também queria trabalhar com produtores diferentes para alcançar sonoridades diferentes, mesmo que dentro do universo do Rap.Da minha perspectiva, acho que me saí bem nessa missão.


– Qual fora a tua ideia ao separar um disco em três temporadas, lançar podcast e spin offs?


R: Isso veio da necessidade de ser realmente ouvido, em meio a tantos lançamentos. Queria que as pessoas interiorizassem as letras, que entendessem as ideias do disco. Essa foi a razão para dividi-lo em temporadas. Já os outros conteúdos foram surgindo junto com esse envelope de seriado no qual embrulhamos o trabalho.Podcast, série em vídeos, site com as letras e pôsteres, etc. Tudo isso surgiu como complemento e uma alternativa para o público pessoal que mesmo depois de “maratonar” cada temporada, ainda não quisesse se desligar do mundo Tão Real.

VEJA TAMBÉM: Irmã gêmea? Garota idêntica à Anitta viraliza na web e ganha milhares de seguidores


– Além do videoclipe com Emicida e Lukinhas, você pretende soltar mais algum clipe desta última temporada?


R: Sim, com certeza. E tem alguns das outras também. Ainda é cedo pra falar sobre mas já estamos começando a preparar esse material novo.


– Você sobe ao palco do Lollapalooza 2020 em abril, depois de ter um show cancelado devido à chuva no ano passado. Está preparando uma nova apresentação, como será? Já vai fazer um show do disco novo?


R: Não será um show só com as músicas do disco novo, vamos mesclar bastante com os outros discos, mas com certeza o Tão Real vai ser destaque naquele palco.


– Duda Beat, Rincon, Emicida e outros fazem parte do seu último álbum, quais são as chances de nós vermos vocês juntos no palco?


R: Hahahaha! Já querem spoiler do show, né? As chances são grandes, quero fazer algo especial e levar alguns dos convidados do disco, vai depender um pouco da agenda dos convidados.