anitta
A cantora fluminense Anitta (FOTO: Reprodução)

De maneira discreta, a cantora Anitta voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido). Na última quarta-feira (dia 19), a artista compartilhou no Stories do Instagram, um vídeo com o depoimento de diversas personalidades do sexo feminino protestando contra a polêmica fala do presidente envolvendo Patricia Campos Mello, jornalista da Folha de SP.

O presidente em exercício fez insinuações de natureza sexual sobre a jornalista, na terça-feira, 18. “Ela queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”, disse Bolsonaro aos risos na saída do Palácio da Alvorada. No vídeo compartilhado por Anitta, as atrizes globais Sophie Charlotte, Cláudia Abreu, Débora Nascimento, Alinne Moraes protestam contra a fala do presidente. As cantoras Zélia Duncan, Majur e as ativistas Milly Lacombe e Fernanda Lima também participam do registro compartilhado pelo perfil do Mídia Ninja no Instagram.

A declaração de Jair Bolsonaro veio à tona, após o depoimento de um ex-funcionário da empresa Yacows que confirmou os disparos de mensagens em massa por WhatsApp, na CPI das Fake News no Congresso. As leis eleitorais permitem que campanhas usem disparos coletivos de mensagem, desde que cadastradas e declaradas à Justiça Eleitoral. Porém, a lei eleitoral proíbe mensagens ou comentários na internet que ofendam ou prejudiquem a imagem de um candidato.

VEJA TAMBÉM: Anitta posta vídeo rebolando de calcinha pela Amazônia

Esta não é a primeira vez que Anitta se posiciona contra Jair Bolsonaro. Recentemente, após um possível embargo econômico dos EUA, a cantora debochou da relação entre Bolsonaro e Donald Trump que muitas vezes chegou a ser apontada por especialistas políticos como bajuladora por parte do presidente brasileiro. “Mas eles não são BFF (“best friends forever”?) Senhor Jesus nos abençoe”, disparou a cantora.

Já em agosto de 2019, a cantora decidiu questionar o presidente sobre a suspensão de editais para produções LGBTQ feita pela Ancine (Agência Nacional do Cinema). “Quem quiser pagar… a iniciativa privada, fique à vontade. Não vamos interferir nada”, afirmou o governante sobre a decisão federal recente que provocou uma onda de protestos.

Alguns me disseram que o senhor explica tudo em uma live semanal e que as razões eram por conta de verba pública, outros pelo conteúdo ser zero relevante ou de baixo nível, outros me disseram que foi para todo tipo de conteúdo de baixo nível não só LGBT, outros não souberam como opinar. Mas fiquei confusa”, disse Anitta. “Se a questão é verba ou conteúdos de baixo nível por que o post do senhor se dirige diretamente à comunidade LGBT e não à todo contexto envolvido como me falaram?”, questionou a cantora.

Mencionar apenas a comunidade LGBT em seu post sem legendas ou explicações não passa a ideia aos seus seguidores de que conteúdo LGBT deve ser banido? Estimula seus seguidores a pensarem que conteúdo familiar não pode ter menção LGBT assim como vi em alguns comentários aqui. Se a decisão tem outros fatores por que postar apenas a questão LGBT?”, acrescenta.

“Existe um filme chamado Billy Elliot que aborda questões de preconceito, questões LGBT, cultura de balé clássico, disciplina e várias outras coisas incríveis de maneira super sofisticada e simples ao mesmo tempo. Este tipo de conteúdo não merecia um apoio? Não merecia visibilidade? Me estranhou este post aparentemente celebre em meio à questão amazônica, mas acredito que os diferentes departamentos sigam trabalhando em suas áreas para que as coisas não parem. Enfim, estou buscando um lado bom para olhar. Neste caso não estou conseguindo”, escreveu.

Os não interessados podem apenas mudar de canal. Se realmente isto não se trata de um preconceito LGBT porque fazer um post isolado sem explicação específica pra que não estimule seus seguidores à serem contra a comunidade? Escrevo isso com todo o respeito que se deve tratar um governante político. E como uma pessoa que realmente gostaria de entender sem agressividade coisas que me parecem contraditórias”, concluiu.