Manu Dibango
O saxofonista camaronês Manu Dibango (FOTO: Reprodução)

Hospitalizado há diversos dias, após ter testado positivo para a Covid-19, o legendário músico camaronês Manu Dibango, faleceu aos 86 anos na França. As informações foram confirmadas nas redes sociais na manhã desta terça-feira (dia 23) por um dos responsáveis pela sua gravadora.

O saxofonista camaronês, ficou conhecido mundialmente com o sucesso de Soul Makossa, em 1972, que se tornou um dos maiores hits da história do afro-jazz. Familiares do músico e saxofonista anunciaram a sua morte na página oficial do músico no Facebook. Na quarta-feira (18 de Março), sua página na rede social já havia anunciado que o músico tinha sido contaminado com o novo coronavírus.

“Queridos pais, queridos amigos, queridos fãs, uma voz se eleva ao longe … É com profunda tristeza que anunciamos a morte de Manu Dibango, nosso ‘Papy Groove’, a 24 de Março de 2020 aos 86 anos, vítima do Covid-19. O funeral será realizado em intimidade familiar, e um tributo lhe será feito o mais rápido possível”

Manu Dibango chegou a cidade francesa de Marselha em 1949, ainda adolescente. Fez parte da ordem nacional da Legião de Honra no ano de 2010. O músico camaronês encontrava-se em atividade e chegou a fazer uma turnê no ano passado marcando os 60 anos de carreira, com o espetáculo Safari Symphonique que mistura jazz e música clássica.

VEJA TAMBÉM: DJ morre aos 44 anos após ser diagnosticado com coronavírus

Durante sua longa carreira, Manu Dibango flertou com diversos gêneros musicais, colaborou com músicos africanos, além de estrelas do rock como Peter Gabriel, cantores franceses como Serge Gainsbourg e personalidades de jazz como o baixista Jérôme Regard.

Um dos seus maiores sucessos, o hit Soul Makossa, lançado em 1972, influenciou Michael Jackson que indevidamente sampleou a canção no hit Wanna Be Starting Something, sem creditar a melodia original. Um julgamento e um acordo financeiro acabaram se concretizando após os problemas autorais. A história repetiu-se, no ano de 2007 depois com a cantora Rihanna que usou, também sem autorização, o tema musical de Soul Makossa no single “Don’t Stop the Music”.