Michael Jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução_

As máscaras cirúrgicas habitualmente usadas pelo astro Michael Jackson (1958-2009) nas suas aparições públicas estavam relacionadas com o medo do cantor de uma pandemia similar à do coronavírus.

Os temores e o verdadeiro significado por trás das máscaras do cantor foram divulgados por Matt Fiddes, ex-segurança de Michael Jackson, numa entrevista ao The Sun. “Eu sei exatamente o que ele diria para as pessoas hoje: ‘Eu falei para vocês!’”, declarou Fiddes.

O músico Michael Jackson (1958-2009) (Foto: Getty Images)

“Ele sempre soube que havia um desastre natural a caminho”, afirmou o segurança ao jornal britânico. “Ele era muito preocupado e sempre previu que poderíamos ser exterminados a qualquer momento, que um germe poderia se espalhar”, explicou.

VEJA TAMBÉM: Coronavírus mata lenda da música que influenciou Michael Jackson

Matt Fiddes na época que ele trabalhava como guarda-costas do astro
(Foto: Instagram)

“Eu brincava com ele, ‘Michael, por favor não use isso, você está me constrangendo, eu sou fotografado com você’”, revelou o segurança a respeito do hábito do músico em fazer uso das máscaras.

Ele me respondia, ‘Matt, eu posso ficar doente, não posso decepcionar os meus fãs. Eu tenho shows marcados. Estou na terra por um motivo. Não posso prejudicar a minha voz, preciso ficar saudável, eu não sei com quem vou encontrar hoje, não sei o que podem me passar”, afirmou o segurança.

Matt Fiddes (FOTO: Instagram)