Jason Joplin
(FOTO: Reprodução)

Há 50 anos, o mundo ficava mais triste. A cantora Janis Joplin, que desde a infância sofria de depressão e bulimia, foi encontrada morta aos 27 anos.

No dia 4 de outubro de 1970, após uma overdose, a lenda da música entrou para o terrível “Clube dos 27” ao lado de Jimi Hendrix, Jim Morrison, Kurt Cobain e mais recentemente, Amy Winehouse.

Joplin nasceu e cresceu no Texas em uma família muito conservadora e religiosa. Nos anos 60, a artista entrou para a Faculdade de Artes Visuais.

VEJA TAMBÉM: Histórica! ‘Like a Prayer’ e a importância de Madonna nos anos 80

Nos anos 70, já no auge de sua carreira, a rockeira veio ao Brasil para tentar tratar seu vício em heroína. Na época, a artista queria fazer um show gratuito no Rio de Janeiro e foi impedida pela Ditadura Militar.

Em uma viagem de moto para a Bahía, a artista sofreu um acidente, onde foi arremessada do veículo. A cantora chegou a ficar inconsciente.

Mas isso não diminuiu seu amor pelo país. Após voltar para os Estados Unidos, Janis Joplin tatuou uma recordação do Brasil e começou a usar penas no cabelo, que remetiam ao Carnaval brasileiro que ela tanto amava.

FOTO: Reprodução

Em outubro de 1970, Janis tinha uma gravação marcada e não apareceu, seu empresário, preocupado com o que poderia ter acontecido, pediu para irem ao ser apartamento checar.

Lá, encontraram a cantora morta. Após uma recaída, a artista que estava se curando do vício em heroína, teve uma overdose.

Suas cinzas foram espalhadas no Oceano Pacífico e sua morte foi colebrada com uma festa, como a mesma pedia aos familiares em seu testamento.