John Lennon
O legendário cantor britânico John Lennon (FOTO: Reprodução)(FOTO: Reprodução)

A revista Far Out Magazine resgatou um momento muito especial na história da televisão mundial quando ninguém menos que John Lennon fez a sua última atuação televisiva como parte de um espetáculo de tributo a todas as estrelas.

A data de 18 de Abril de 1975, marcaria a última apresentação ao vivo de Lennon enquanto o músico participava dum programa de tributo televisivo para o magnata da mídia Sir Lew Grade, uma pessoa com quem o guitarrista e cantor dos Beatles tinha compartilhado uma história de negócios. Lennon agraciou o espetáculo apresentando a sua legendária canção “Imagine”, até então desconhecida do público, que foi apresentada no palco pela última vez.

VEJA TAMBÉM: Dinho Ouro Preto canta clássico do Queen e é massacrado na web: “Ouvido apodreceu”

Personalidades como a de Sir Lew Grade foram parte da razão pela qual Lennon se tinha apaixonado pela indústria em 1975. O cantor estava a tentar fugir do glamour e da fama e passou a se concentrar na sua família. Grade, entretanto, era um homem conhecido pela sua abordagem implacável dos negócios, uma abordagem que acabou por o envolver numa longa e amarga batalha de cinco anos com Lennon e McCartney pela posse do seu material criativo.

No ano de 1969, Grade comprou os direitos de mais de cem canções de Lennon e McCartney, após intensas negociações. Isso levaria o Lennon a processar Grade em 1974 e a ter de resolver a questão fora dos tribunais, com o magnata continuando a ser o co-editor de todas as suas novas canções. Foi uma situação trágica para o artista.

À medida que avançaram para carreiras separadas, após a divisão dos The Beatles, Grade avidamente entrou com uma ação judicial com o objectivo de impedir Lennon em suas incursões iniciais envolvendo álbuns de estúdio solo. Isto levou a que Lennon e McCartney começassem inteligentemente a compartilhar créditos de composição de canções com as suas esposas, eliminando assim as potenciais receitas de 50% das composições de canções para a editora de The Grade Associated Television.

Outra cláusula no acordo a que Lennon chegou com Grade foi o de gravar um novo álbum. Este acordo levou o cantor a gravar o seu álbum de covers, centrado em canções clássicas de rock ‘n’ roll, apropriadamente designado Rock ‘n’ Roll. Apesar de ser um dos melhores álbuns de covers, ainda soava mal a Lennon ter que se submeter ao empresário musical.

O aparecimento de Lennon neste espetáculo de tributo ao Grade foi claramente um compromisso a que ele preferia não ter comparecido, mas aparentemente não teve escolha. Apesar de ainda guardar rancor sobre o empresário por boas razões, o cantor subiu ao palco e completou o seu acordo. A sua atuação de “Imagine” foi nada menos do que excepcional, com John saindo da vida pública na sua melhor forma.

Por muitos a banda ali foi rotulada como “John Lennon Etc.”, mesmo com os dizeres claros “BOMF” na caixa de bateria que significa “Band Of Motherf*ckers”, termo que infelizmente teve de ser mudado por causa dos padrões do programa televisivo. A banda de Lennon atuou com polêmicas e maliciosas máscaras especialmente criadas pelo escultor Ruby Jackson, que foram usadas na parte de trás das suas cabeças.

As máscaras eram alegadamente uma referência não tão sutil aos negócios de Grade, lhe chamando de duas caras. Icônica e ultrajante, esta foi a última aparição do artista para seus fãs. John Lennon, vale lembrar, seria infelizmente assassinado no exterior do Edifício Dakota, em 1980.