michael jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução_

Michael Jackson compartilhou certa vez algumas memórias desoladoras sobre a sua infância “perdida” numa entrevista, explicando como a sua carreira musical tomou conta da sua vida desde menino e moldou todo o seu futuro, num momento raro de franqueza para o Rei da Pop.

Michael Jackson continua sendo um dos superastros mais famosos do mundo, e ajudou a moldar para sempre o curso da música pop. Mas o cantor também viveu uma vida conturbada e uma carreira intensa, e enfrentou várias alegações contra ele de que molestou jovens rapazes. Jackson morreu em 25 de Junho de 2009, após uma paragem cardíaca pouco antes da sua estreia em Julho, quando realizaria uma série de concertos de retorno. Uma das entrevistas mais fascinantes da estrela foi com a rainha do talk-show americano Oprah Winfrey em 1993, e a conversa foi particularmente hipnotizante dada a aversão do músico a compartilhar a sua vida privada com o público.

Michael Jackson: King of pop shared how his 'childhood was lost' in heartbreaking interview
(Image: getty)

Winfrey perguntou inicialmente à estrela pop como era a sua performance e se gostava da experiência quando era criança.

Mais tarde, Jackson concordou que a sua infância tinha sido arrancada e que ele se esforçava para amadurecer. “No palco para mim estava em casa, era muito confortável e ainda é”, começou Jackson. “Mas quando saía do palco, ficava muito triste. Sozinho, triste, tendo de enfrentar popularidade e tudo isso. Houve momentos em que tive bons momentos com os meus irmãos, lutas de almofadas e coisas assim, mas costumava chorar sempre de solidão. Eram de quando eu era muito pequeno – oito ou nove anos. Sim, quando todos nós ficamos famosos pela primeira vez”.

VEJA TAMBÉM: Anitta dança de biquíni com Gui Araújo e recebe tapinha no bumbum

Então isto não era o que parecia ser para nós?” Winfrey perguntou ao sujeito diante do relato dramático, o que fez Michael Jackson sorrir.

É maravilhoso, há muita maravilha em ser famoso, viajamos pelo mundo, vemos coisas, conhecemos pessoas, vamos a lugares, é ótimo”, entusiasmou-se Jackson. “E depois há o outro lado, do qual não me estou a queixar [sobre], [mas] há muito ensaio, tens de abdicar de muito do teu tempo, tens de abdicar de muito de você mesmo”.

Refletindo sobre uma conversa anterior com a antiga produtora de música Suzanne de Passe, Winfrey afirmou que soava como se a “infância de Jackson estivesse perdida”.

Fazendo uma pausa, Jackson concordou: “Bem, eu percebi, especialmente agora, que fazíamos os nossos estudos, que davam três horas por dia, com um tutor, depois disso, eu ia para um estúdio de gravação e gravaria, e gravaria durante horas e horas até ser hora de ir dormir”.

“Por isso, seria de noite. E lembro-me, ao ir para o estúdio de gravação havia um parque do outro lado da rua e eu chorava quando via todas as crianças a brincar e elas estavam a fazer barulho. Ficava triste por ter de ir trabalhar ao invés disso.”

Perguntado se era um preço que tinha de pagar por ter este tipo de vida diferente, Jackson pareceu repensar a sua história.

(FOTO: Reprodução)

Bem, você não pode fazer coisas que outras crianças podem fazer”, disse ele. “Sabe, as coisas simples que eles tanto tomam por certas, ter amigos, festas de pijama e amigos e apenas sair para passear”.

“Para mim não havia nada disso. Eu não tinha amigos quando era pequeno, os meus irmãos eram meus amigos”, compartilhou.

Winfrey perguntou-se se alguma vez existiu um lugar onde Jackson pudesse escapar quando criança, para um “mundo e imaginação infantis”, mas o músico negou com a cabeça.

Não, e penso que por não ter tido isso na altura, agora, eu compenso isso”, disse Jackson. “As pessoas perguntam porque é que eu tenho sempre crianças por perto, porque encontro aquilo que nunca tive através delas”.

(FOTO: Reprodução)

Sabe, a Disneylândia, os parques de diversões, os jogos arcade. Adoro tudo isso porque, quando era pequeno, era sempre trabalho de trabalho”.

De um show para o outro, se não era um show, era o estúdio de gravação. Se não era isso, eram os programas de televisão. Ou entrevistas, ou sessões de fotografia, havia sempre algo para fazer”.

Em outra entrevista aprofundada com Geraldo Rivera da Fox News em 2005, Jackson compartilhou a realidade das suas relações com vários membros da família, e como ele lidou com os problemas familiares.

Jackson confiou nos seus irmãos e irmã, e quando lhe perguntaram metaforicamente se “o sangue era mais espesso que a água”, explicou como os irmãos tinham sido criados.

O sangue é tudo para nós“, disse ele. “É o que nos foi ensinado, o valor. Somos amigos no final do dia, o que é importante, apesar do que o público e a imprensa dizem, somos amigos”.

Família Jackson
Família Jackson (FOTO: Reprodução)