Ação de plágio contra Taylor Swift volta à tona nos EUA

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela envolvendo um possível plágio de “Shake it Off” (2014) não está encerrada como se imaginava.

No mês de fevereiro, o juiz Michael W Fitzgerald finalizou o processo movido pelos compositores Sean Hall e Nathan Butler por defender que a letra do hit de Taylor Swift não possui semelhanças suficientes com “Playas Gon’ Play” divulgada pelo trio feminino 3LW ainda no ano de 2001.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Agora, o processo foi desengavetado para passar por uma nova análise técnica. O trecho que os compositores apontam terem sido copiados por Taylor Swift está justamente no refrão de ambas as canções.

VEJA TAMBÉM: “Brasileirinha”; internautas brincam que Anitta fará filme pornô

Em “Playas Gon’ Play”, o trio de cantoras entoam “Playas, they gonna play / And haters, they gonna hate / Ballers, they gonna ball / Shot callers, they gonna call”. Em “Shake It Off”, Taylor canta: “‘Cause the players gonna play, play, play, play, play / And the haters gonna hate, hate, hate, hate, hate / Baby, I’m just gonna shake, shake, shake, shake, shake / I shake it off, I shake it off”.

De acordo com a Billboard, na época, o juiz do processo assegurou que a mera combinação das palavras “players”, “haters” e “player” e “hater” não seria suficiente para configurar o plágio.

Numa nova decisão, um painel de três juízes da Nona Corte aponta que a decisão teria sido precipitada. “Para que essas frases curtas sejam protegidas pela Lei de Direitos Autorais, elas devem ser mais criativas do que as letras em questão aqui (…) Como a ausência de originalidade não é estabelecida na face da reclamação nem nas questões notificadas judicialmente, revertemos a demissão do tribunal distrital”, afirma o texto da nova decisão tomada nesta segunda-feira (dia 28).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio