alexandre pires
O sambista Alexandre Pires (FOTO: Reprodução)

A quarentena tem feito as pessoas acharem coisas de artistas que nem eles lembravam. A pauta da vez é sobre a música “Que Se Chama Amor” de 1993 do grupo Só Pra Contrariar do Alexandre Pires, em que estão associando a letra do hit com a pandemia do novo coronavírus.

A música foi o primeiro grande sucesso do grupo na década de 90, mas o que eles menos imaginavam, seria essa “previsão” que aconteceria somente em 2020.

A comparação estava sendo compartilhada em grupos no WhatsApp, até cair em outras redes sociais. O que chama a atenção é um trecho da música que diz: “um vírus […] que não tem dia e nem hora pra acabar”.

A parte completa desses versos acima, diz: “É um vírus que se pega com mil fantasias; Um simples toque de olhar; Me sinto tão carente, consequência desta dor; Que não tem dia e nem tem hora pra acabar”.

Em outra parte da música, a suposta previsão continua. “Como é que uma coisa assim machuca tanto e toma conta de todo o meu ser? […] É a dor mais funda que a pessoa pode ter” e “Vou enfrentar o quarto e dormir com a solidão”. Por essa o Alexandre Pires não esperava!

Veja a letra completa e ouça a música:

“Como é que uma coisa assim machuca tanto
E toma conta de todo o meu ser?
É uma saudade imensa que partiu meu coração
É a dor mais funda que a pessoa pode ter

É um vírus que se pega com mil fantasias
Um simples toque de olhar
Me sinto tão carente, consequência desta dor
Que não tem dia e nem tem hora pra acabar

Aí eu me afogo num copo de cerveja
E que nela esteja minha solução
Então, eu chego em casa todo dia embriagado
Vou enfrentar o quarto e dormir com a solidão

Meu Deus, não!
Eu não posso enfrentar essa dor
Que se chama amor
Tomou conta do meu ser
Dia a dia, pouco a pouco
Já estou ficando louco
Só por causa de você”

Veja também:

Pink e filho de três anos são diagnosticados com coronavírus

Veja alguns comentários dos fãs no Twitter: