alok
O produtor e DJ goiano ALOK (FOTO: Divulgação)

O casamento do músico goiano Alok aos pés do Cristo Redentor deu início a um horário inédito para cerimônias no local. “A missa começou às 5h30, foi um pedido do Alok”, revelou Padre Omar, que foi a santidade responsável pela cerimônia ocorrida nesta terça-feira (dia 15).

A união do artista com a médica Romana Novais foi mantida em segredo e contou apenas com familiares do casal. Durante a transmissão do programa Bom Dia Rio, um helicóptero da Rede Globo conseguiu registrar a reta final do matrimônio. “É um casal iluminado, um jovem casal muito católico”, revelou o padre.

“A cerimônia tanto pode ser aos pés do monumento ou na Capela de Nossa Senhora da base”, explicou Padre Omar. Vale ressaltar que o santuário localizado no Cristo Redentor também celebra bodas e batizados.

VEJA TAMBÉM: Ariana Grande posta prévia de 7 Rings com vídeo misterioso

Numa entrevista ao G1, o padre optou por não falar em valores. “Não é caro. A gente também pede uma doação ao santuário, o que o Alok fez”, explicou. No ano de 2017, uma cerimônia simples custava cerca de R$ 2,5 mil.

Um dos detalhes que mais chamou a atenção dos internautas, que acompanharam a cobertura do evento no Rio de Janeiro, foi o horário da cerimônia. Muitos dizem que a celebração ocorreu às 5 da manhã, o que gerou muitos comentários dos internautas nas redes sociais.

Alok cria remix de clássico do Titãs em parceria com seu irmão gêmeo

A banda de rock Titãs lançou na última sexta-feira (dia 28), o remix de um dos seus maiores hits: a canção “Epitáfio”. A nova versão foi assinada por ninguém menos que o músico goiano Alok e seu irmão gêmeo Bhaskar.

A faixa já está disponível nas plataformas digitais e foi gravada especialmente como parte de um quadro do programa de TV “Caldeirão do Huck”.

O remix produzido pelos irmãos gêmeos DJs Alok e Bhaskar, conta com a participação do trio da banda, Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto. A canção foi lançada como parte de um projeto beneficente, no qual todos os direitos e lucros serão revertidos para o Instituto Anelo, ONG que promove a cidadania através de projetos musicais com crianças e adolescentes.

“Titãs foi sempre uma referência musical tanto pra mim quanto para os meus pais e trabalhar em algo com eles certamente faz parte da realização de um sonho que vivo agora” explicou Alok.