O DJ Bhaskar ao lado de seu irmão gêmeo DJ Alok (FOTO: Facebook)

A banda de rock Titãs lançou na última sexta-feira (dia 28), o remix de um dos seus maiores hits: a canção “Epitáfio”. A nova versão foi assinada por ninguém menos que o músico goiano Alok e seu irmão gêmeo Bhaskar.

A faixa já está disponível nas plataformas digitais e foi gravada especialmente como parte de um quadro do programa de TV “Caldeirão do Huck”.

O remix produzido pelos irmãos gêmeos DJs Alok e Bhaskar, conta com a participação do trio da banda, Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto. A canção foi lançada como parte de um projeto beneficente, no qual todos os direitos e lucros serão revertidos para o Instituto Anelo, ONG que promove a cidadania através de projetos musicais com crianças e adolescentes.

“Titãs foi sempre uma referência musical tanto pra mim quanto para os meus pais e trabalhar em algo com eles certamente faz parte da realização de um sonho que vivo agora” explicou Alok.

Paulo Miklos revela como perdeu o dedo ao passear com cachorro

O cantor Paulo Miklos, ex-vocalista do Titãs, revelou um acontecimento bizarro que ocorreu recentemente em sua vida. Numa entrevista para a Rádio Jovem Pan, ele contou que sofreu uma mutilação em uma das mãos.

No bate-papo, que ocorreu no final de setembro, Miklos revelou que perdeu parte do dedo polegar em um acidente, tudo por causa de seu cachorro, um São Bernardo. “Eu tinha um São Bernardo, um cão gigantesco. Como ele tinha a perna comprida e andava muito rápido, achei por bem ter uma coleira retrátil de nylon. Você não precisa correr atrás do cachorro, dá linha pra ele.”

“Tinha uma senhora do outro lado da rua com um cachorrinho, que dizia: ‘Olha fulaninho, que bonitinho aquele grandalhão do outro lado’. Eu falava: Não, minha senhora, não faça isso que ele vai querer atravessar e ninguém segura esse cachorro” afirmou Paulo Miklos.

VEJA TAMBÉM: Anitta e Ludmilla tentam emplacar o hit do verão 2019

Porém o pedido do músico à mulher acabou sendo em vão. Isto porque, o cão de Miklos já tinha percebido o outro cachorro e partiu para cima do pequeno cão: “Uma vizinha minha veio dirigindo e viu a seguinte cena: eu arrastado pelo braço, tentando tirar o braço que estava preso na tal da guia até que ficou preso só um dedo, o polegar. Aí fez ‘puf!’ e saiu fora o polegar.”

Paulo Miklos garante que nem sentiu o corte do dedo, mas que infelizmente no hospital não conseguiu reimplantá-lo no lugar. Miklos ainda contou que seu cachorro foi em direção à senhora, fazendo com que um morador do prédio arremessasse um vaso na direção de seu cão, que acabou batendo no chão. “Eu não senti. Foi um corte, essa coisa do nylon estrangulou, foi reto”, completou, contando que acabou pegando carona com a vizinha que estava de carro até um hospital.