Após assédio sexual, Taylor Swift toma medida drástica nos encontros com fãs

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após divulgar o álbum Lover na última sexta-feira (dia 26), Taylor Swift decidiu falar mais a respeito de sua vida e do novo trabalho à imprensa. Durante um bate-papo com o programa americano Sunday Morning, a cantora voltou a comentar sobre a polêmica com Scooter Braun.

Assim que a apresentadora mencionou o nome do empresário que comprou sua antiga gravadora e o direito de suas músicas, Taylor fez uma careta e voltou a afirmar que só ficou sabendo da novidade quando ela foi divulgada na imprensa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eu sabia que ele [Scott Borchetta, o antigo dono da Big Machine Records]venderia minhas músicas. Sabia que ele faria isso em algum momento, mas não podia acreditar para quem ele vendeu. Tivemos infinitas conversas sobre Scooter Braun e ele teve 300 milhões de motivos para esquecer todas elas”, criticou a cantora.

Na conversa, Taylor Swift ainda falou também sobre o sexismo na música. “Existem vocabulários diferentes para homens e mulheres nessa indústria. Se um homem faz algo, é estratégico. Quando uma mulher faz a mesma coisa, é calculado. Um homem pode reagir, enquanto quando uma mulher reage, é exagero”, explicou.

VEJA TAMBÉM: Ex-dançarina do É O Tchan vira pregadora evangélica

Numa entrevista ao jornal britânico The Guardian, Taylor revelou também que o assédio que sofreu durante um meet & greet no ano de 2013, quando o DJ David Mueller decidiu apertar seu bumbum enquanto eles tiravam uma foto, a fez tomar medidas drásticas de segurança recentemente.

Agora, a cantora tem câmeras constantemente direcionadas para a parte de baixo do seu corpo sempre que marca encontros com fãs, assim “se algo acontecer de novo, podemos provar isso com imagens de vídeo de todos os ângulos”, afirmou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio