Taylor-Swift
A cantora norte-americana Taylor Swift (FOTO: Reprodução)

Após divulgar o álbum Lover na última sexta-feira (dia 26), Taylor Swift decidiu falar mais a respeito de sua vida e do novo trabalho à imprensa. Durante um bate-papo com o programa americano Sunday Morning, a cantora voltou a comentar sobre a polêmica com Scooter Braun.

Assim que a apresentadora mencionou o nome do empresário que comprou sua antiga gravadora e o direito de suas músicas, Taylor fez uma careta e voltou a afirmar que só ficou sabendo da novidade quando ela foi divulgada na imprensa.

“Eu sabia que ele [Scott Borchetta, o antigo dono da Big Machine Records]venderia minhas músicas. Sabia que ele faria isso em algum momento, mas não podia acreditar para quem ele vendeu. Tivemos infinitas conversas sobre Scooter Braun e ele teve 300 milhões de motivos para esquecer todas elas”, criticou a cantora.

Na conversa, Taylor Swift ainda falou também sobre o sexismo na música. “Existem vocabulários diferentes para homens e mulheres nessa indústria. Se um homem faz algo, é estratégico. Quando uma mulher faz a mesma coisa, é calculado. Um homem pode reagir, enquanto quando uma mulher reage, é exagero”, explicou.

VEJA TAMBÉM: Ex-dançarina do É O Tchan vira pregadora evangélica

Numa entrevista ao jornal britânico The Guardian, Taylor revelou também que o assédio que sofreu durante um meet & greet no ano de 2013, quando o DJ David Mueller decidiu apertar seu bumbum enquanto eles tiravam uma foto, a fez tomar medidas drásticas de segurança recentemente.

Agora, a cantora tem câmeras constantemente direcionadas para a parte de baixo do seu corpo sempre que marca encontros com fãs, assim “se algo acontecer de novo, podemos provar isso com imagens de vídeo de todos os ângulos”, afirmou.