Michael Jackson e Bubbles (Foto: Reproduução/Internet)

Michael Jackson tinha uma afinidade por animais. Alguns anos atrás, foi revelado em um documentário da BBC que Freddie Mercury e Jackson estavam programados para gravar um dueto. Isso nunca aconteceu porque MJ insistiu em trazer sua lhama de estimação, Louie, para o estúdio.

Aparentemente, isso não foi legal com Mercury, que desistiu da colaboração chamando seu gerente e falando: “Michael está trazendo sua lhama de estimação para o estúdio! Já tive o suficiente, quero sair“.

Mais conhecido que Louie, no entanto, era o chimpanzé de estimação de Jackson, Bubbles.

Bubbles nasceu em abril de 1983. Jackson o comprou de uma instalação de pesquisa do Texas no início dos anos 80. Bubbles originalmente morava com Jackson em sua casa em Encino, Califórnia, antes de ele se mudar para o Neverland Ranch.

Foi relatado em muitas ocasiões que Bubbles dormia em um berço no quarto de Jackson e tinha permissão para usar o banheiro pessoal de Jackson. Os dois eram inseparáveis ​​e frequentemente participavam de eventos sociais com o próprio MJ.

Bubbles foi o centro das atenções da mídia e houve uma vez uma história de que ele havia morrido. O agente de imprensa de Jackson, Lee Solters, brincou com a mídia que “quando Bubbles soube de sua morte, ele foi banido … Como Mark Twain, sua morte é grosseiramente mentirosa e ele está vivo e indo bem.”

Dizem que Bubbles gostava de pintar.

Pintura do ex-macaco de Michael Jackson, Bubbles.

VEJA TAMBÉM: Maiara volta a apagar fotos com Fernando e ele desaba na web: “Vontade de fazer nada”

Bubbles foi afastado do rancho Neverland por volta de 2003. Jackson disse a Martin Bashir no documentário de 2003 Living with Michael Jackson, que Bubbles havia se tornado pugnaz. Ele foi transferido para um santuário de animais por temer que ele pudesse atacar o filho recém-nascido de Jackson, o príncipe Michael II.

Desde 2005, Bubbles vive no The Center for Great Apes, um santuário na Flórida. Atualmente ele tem 37 anos. Os chimpanzés podem viver até 50 anos.

Abusos, fortuna e suicídio; toda a verdade por trás do macaco de Michael Jackson

Michael Jackson e seu chipanzé Bubbles viveram uma história de amizade e parceria por muitos anos, até a morte do cantor. O animal está vivo até hoje, saudável e recebe apoio do Espólio de Michael. Ao longo dos anos, os tabloides americanos geraram notícias e levantaram polêmicas em torno do envolvimento do cantor com o animal.

Bubbles é cuidado por uma equipe do Centro de Grandes Primatas desde 2005. Após a morte de Michael Jackson em 2009, o centro de repente recebeu mais de 100 pedidos para fotografar ou filmar o animal. A política do centro é sempre escolher o que é melhor para os macacos, proporcionando um ambiente estável, de modo que quase todas as solicitações de mídia fossem recusadas.

Bubbles chegou ao santuário em excelente estado de saúde e com comportamentos normais com outros chimpanzés. Ele é um membro comum em seu grupo com outros seis chimpanzés. Grandes Primatas afirmam que o macaco não tem nenhuma evidência de negligência ou abusos. “Ele gosta genuinamente das pessoas, assim como todos os outros chimpanzés”.