roberto carlos
O cantor capixaba Roberto Carlos (FOTO: Reprodução)

Roberto Carlos realizou neste domingo (dia 10) sua live em homenagem ao Dia das Mães. Esta foi a segunda transmissão do cantor durante o isolamento social pela pandemia da Covid-19 e o artista abriu a live cantando o clássico “Lady Laura”, música que homenageia sua mãe. O artista, vale lembrar, quase sempre abre seus shows cantando o clássico dos clássicos “Emoções”.

Logo depois, Roberto Carlos fez um contundente discurso em defesa da quarentena. Durante a performance, os músicos que lhe acompanhavam em estúdio estavam usando máscaras e separados através de vidros por medidas de segurança.

Quero mostrar que estamos mantendo as distâncias estabelecidas que temos que respeitar. Fiquem tranquilos que temos um acrílico na frente de cada um e todos de máscara. Cantar de máscara é meio complicado”, brincou Roberto. A seguir, o Rei defendeu que as pessoas cumprimentem as outras à distância sem toques físicos com os pés ou cotovelos. “Outros cuidados que eu acho importantíssimos. Esse negócio de cumprimentar com o braço ou com o pé, eu acho que não vale nada. Não tem valor algum. Porque o cumprimento é simplesmente a reverência”, revelou. “Nada de encostar cotovelo, tornozelo, porque não acho que isso resolve a questão. Temos que ser radicais nessa questão do distanciamento social“, reforçou o músico.

A live ainda contou com um recado de Roberto Carlos ao tenor Andrea Bocelli, que estaria assistindo ao evento virtual do amigo brasileiro e trouxe também um dueto por videoconferência do Rei com Wanderlea no clássico “Ternura”, canção que ele canta em parceria com a amiga de Jovem Guarda.

Roberto Carlos elogiou governo Bolsonaro após críticas a domésticas na Disney

Já há mais de uma década, o cantor brasileiro Roberto Carlos vem moldando sua carreira através de cruzeiros temáticos e apresentações televisivas de fim de ano. O mais bem sucedido e longevo empreendimento marítimo do músico capixaba se chama “Emoções em Alto Mar” e em fevereiro, o “Rei” embarcou na empreitada no Rio de Janeiro e aproveitou para conversar sobre os mais variados assuntos.

Após chegar no encontro com jornalistas em um elegante Cadillac vermelho, o músico de 78 anos teria dado sua opinião sobre o governo do atual presidente da república, Jair Bolsonaro, além de fazer diversos elogios ao governo federal, como informa a Folha.

“Acho que o Bolsonaro é muito bem-intencionado. Ele tem tido muita dificuldade com o pessoal em volta dele. Mas acho ele bom e já tem conseguido algumas coisas. Vamos torcer pelo país, que está na mão dele”, comentou o músico.

Em outra publicação, do F5, a Folha aponta que o músico também elogiou Sérgio Moro e Paulo Guedes, ministros considerados pilares do governo bolsonarista. Roberto, porém, ressaltou que Bolsonaro estaria “tendo dificuldades em realizar o que propôs”, e que “torce para o Brasil” sugerindo torcer para que Bolsonaro consiga fazer o que prometeu.

VEJA TAMBÉM: Letra de nova música da Anitta causa ao abordar uso de drogas sintéticas 

A respeito das polêmicas declarações recentes de Paulo Guedes, responsável pela pasta de Economia no governo Bolsonaro, Roberto disse que seriam “boas para a economia” de Cachoeiro de Itapemirim, cidade “simples mas muito atraente”.

A fala considerada elitista de Paulo Guedes surpreendeu até parte dos seus próprios apoiadores ao sugerir que os brasileiros precisavam parar de ambicionar viagens à Disney e deveriam passar a frequentar cidades brasileiras como o município do Espírito Santo onde Roberto nasceu.

Ao comentar sobre a nova Secretária de Cultura, Regina Duarte, Roberto Carlos afirma que apoia totalmente a sua amiga atriz e tem grande confiança nela. Admite porém que não aceitaria o cargo da colega pois precisa “compor e cantar”.

O governo de Jair Bolsonaro, vale lembrar vem sofrendo duras críticas da imprensa, opositores e até de seus próprios eleitores por endossar discursos de empresários que pedem pelo fim do isolamento total em tempos de pandemia do novo coronavírus. 

O último álbum de Roberto Carlos é “Roberto Carlos” (2005), com diversas regravações. Seu último disco de inéditas é o projeto “Pra Sempre”, lançado em 2003.