MC Brinquedo (FOTO: Reprodução)

Depois de receber diversas críticas sobre sua aparência por conta de uma harmonização facial, MC Brinquedo resolveu se afastar das redes sociais.

Mas, na última quarta-feira (28), o cantor ressurgiu com uma foto arrepiante, sugerindo estar saúde mental extremamente abalada. E neste fim de semana, o funkeiro voltou a preocupar os fãs ao publicar um emoji chorando e apagar em seguida.

Confira:

Recentemente, o cantor já havia preocupado os internautas ao fazer uma live no Instagram onde não apareceu. Apenas um fundo preto e um silêncio tomaram conta da transmissão feita por MC Brinquedo. Além disso, ele colocou um emoji de coração quebrado fixado.

VEJA TAMBÉM: Fofa! Confinada em ‘A Fazenda’, Mc Mirella faz doação de brinquedos

Na web, os fãs comentam: “Meu coração tá doendo por ele, já passei por isso e sei o pesadelo que é”; “de uma coisa eu tenho certeza, eu não nasci para me deparar com esse tipo de situação”; “Mano e a família dele?”; “Esse menino precisa de acompanhamento psicológico pra ontem”.

MC Brinquedo faz post misterioso e fãs se preocupam com saúde mental
Foto: Reprodução

Suicídio

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

No Brasil, uma pessoa morre por suicídio a cada hora, enquanto outras três tentaram se matar sem sucesso no mesmo período. O assunto é tão complexo que muitas pessoas evitam falar a respeito, o que nem sempre é a melhor decisão. Um problema dessa magnitude não pode ser negligenciado, pois sabe-se que o suicídio pode ser prevenido. Uma comunicação correta, responsável e ética é uma ferramenta importante para evitar o efeito contágio. Centro de Valorização da Vida Uma das entidades que ajuda pessoas com pensamentos tristes e depressivos é o Centro de Valorização da Vida, o CVV. A organização existe há anos graças ao trabalho voluntário de centenas de pessoas. O atendimento é gratuito e pode ser feito por telefone e internet. O telefone que tem cobertura para todo Brasil é 188.