Recentemente, Maraisa terminou seu namoro com Fabrício, e em seguida assumiu romance com outro homem, porém há males que vêm para o bem. Divulgada dia 30 outubro, “Pra Quê Namorar”, feat da dupla Fabrício e Henrique com as irmãs Maiara e Maraisa, alcançou há alguns dias a incrível marca de 1 milhão de acessos no YouTube.

Com isso, para comemorar, a dupla concedeu uma entrevista para o Observatório de Música, e revelaram alguns detalhes sobre a canção, o futuro e como está a relação com Maraisa após o fim do namoro com Fabrício.

1 – Como surgiu a ideia da parceria com Maiara e Maraisa?

Fabrício: Antes de eu namorar com a Maraísa, eu já havia conversado com a Maiara sobre a participação delas nesta música. Sempre fomos amigos e, quando eu ouvi essa letra, logo pensei nelas. Afinal, eu admiro muito o trabalho das meninas, independente da nossa amizade, elas são grandes profissionais. E deu super certo nossa parceria. A música “Pra Quê Namorar?” é uma defesa às mulheres, que tanto são abusadas nos dias de hoje. E ter Maiara e Maraísa ao nosso lado, representando e dando voz às milhares de mulheres que passam por uma história como é contada na canção, foi inspirador e muito bacana.

2 – O Fabrício e Maraisa terminaram o namoro recentemente, ela já está com um novo romance, a amizade de vocês continua ou vocês preferiram se afastar?

Fabrício: A amizade entre mim e a Maraísa continua, sim. Antes de namorarmos, já éramos amigos e assim permanecemos, com muito respeito e admiração, sempre. Não houve qualquer briga, o relacionamento acabou em paz, como foi durante o tempo que formávamos um casal. Continuamos falando bem um do outro e desejando o melhor um para o outro e sempre conversando. Maraísa é uma mulher incrível.

VEJA MAIS: Traição? Saiba o que rolou entre Gusttavo Lima, Andressa Suita e Rafa Kalimann

3 – Por que vocês acham que tantos sertanejos estão se separando na pandemia? Vocês acreditam que vai render muita sofrência ‘braba’ para galera?

3 – Henrique: Com certeza muitas modas boas estão por vir. Infelizmente, casais se separaram, mas continuamos torcendo pela felicidade de todos, independente do estado civil. A pandemia chegou para nos lembrar do valor que os pequenos gestos possuem e temos que buscar nossa felicidade, onde quer que ela esteja, viemos ao mundo pra isso.

4 – Como vocês veem esses shows presenciais com ‘cercadinhos’ isolando as turmas de espectadores?

4 – Henrique: Todos os shows são inesquecíveis, mas sentir as pessoas perto de nós faz toda a diferença. O calor humano proporciona outra energia, tudo muda, sem contar que o palco faz muita falta, é o lugar onde nos recarregamos para sonharmos e irmos além.