xuxa
A apresentadora Xuxa (FOTO: Reprodução)

Recentemente, o apresentador Sikêra Jr. criou uma polêmica envolvendo o nome de Xuxa. Durante cerca de dez minutos, o jornalista acusou a loira de pedofilia e apologia ao uso de drogas.

E a artista não deixou isso barato! Ela pediu na Justiça a cassação do título de jornalista do apresentador, sua demissão da RedeTV!, e uma indenização de R$ 500 mil – que ela pretende doar a instituições de caridade. Mas, a Justiça do Estado de São Paulo negou duas vezes o pedido de Xuxa para tirar do ar o Alerta Nacional, programa de Sikêra Júnior, do ar.

Agora, a Rainha dos Baixinhos faz um novo apelo e registrou uma queixa-crime contra o jornalista. Ela afirma que é vítima de difamação e injúria. E reforça que o rival faz uso de argumentos misóginos, machistas e mentirosos para tentar desqualificá-la durante o programa.

Ativista LGBTQI+ irá processar Sikera Junior por homofobia e transfobia -  ISTOÉ Independente
Foto: Reprodução

VEJA MAIS: Netflix divulga informações e prévia de série com Manu Gavassi; confira!

Em um novo documento protocolado no Juizado Especial Criminal do Fórum Regional de Santo Amaro, em São Paulo, de Xuxa pedem urgência para a solução do caso, uma vez que ele segue associando sua imagem aos crimes de pedofilia e apologia ao uso de drogas.

“A vileza e a infâmia contida as manifestações pensadas e voltadas a ofender a honra da vítima adquirem relevo ainda mais indecoroso e desprezível, vez que a querelante [Xuxa] foi vítima de abuso sexual na infância e uma das primeiras mulheres públicas a relatar abusos dessa natureza, de modo a manter hígida a luta pelo direito à inviolabilidade sexual de crianças e adolescentes”, diz parte do documento.

A defesa de Xuxa também fez a transcrição das falas do apresentador para tentar mostrar que seu objetivo é ofender a apresentadora. “O cenário narrado demonstra que as falas do apresentador não tinham a mínima intenção de cumprir seu dever jornalístico, mas sim ofender a querelante [Xuxa], ultrapassando a barreira do direito à liberdade de imprensa e manifestação”.