Rennan da Penha
O DJ e produtor carioca Rennan da Penha (FOTO: Reprodução)

O DJ Rennan da Penha foi preso em abril 2019, acusado de ser olheiro do tráfico no Rio de Janeiro. Após ser solto em novembro, o cantor foi atrás de uma psicóloga.

Durante um bate-papo para o programa “Conversas Que Importam“, produzido pelo YouTube em parceria com o estúdio de conteúdo Play9, o artista falou sobre como foi difícil para ele aceitar o fato de que precisava de ajuda.

Eu falei não, eu sou capaz de resolver isso, eu já enfrentei barra pior. E quando eu parei de conversar com a psicóloga, eu vi que não era capaz de contornar aquela situação sozinho, que realmente eu precisava de uma pessoa para conversar.”

VEJA TAMBÉM: Ex-integrante dos ‘Menudos’ tenta suicídio e está internado em estado grave

Eu precisava de uma pessoa para conversar, desabafar, e uma pessoa que estivesse ali só para me escutar. Às vezes eu não queria nem que ela desse opinião, só queria que ela me escutasse.“, continuou ele.

Sobre sua prisão, Rennan da Penha afirmou: “Postei que o Caveirão estava entrando. Fui na vibe de avisar a comunidade e não sabia que ia dar tanto problema.”

Assista ao bate-papo completo:

Vale ressaltar que algum tempo atrás, a esposa do DJ, Lorena Vieira afirmou que os dois estão sendo perseguidos pela polícia do Rio de Janeiro. Na ocasião, ela usou sua conta no Twitter para desabafar.

A PM agora fica tirando foto do carro do Renan, explanando a placa e dizendo que é carro de bandido em grupo”, revelou. E continuou: “Recebemos um áudio de um pm agora, mandando “PEGAR” por que estávamos “BOIANDO SOZINHOS””.

Por isso fomos parados ontem aqui no Recreio com 5 fuzil na nossa cara”, disse, revoltada com a situação. A empreendedora ainda completou: “Vão perseguir quem vocês tem que perseguir! Melhore seus soldados nojentos e podres!”.

E ainda chocou a todos ao dizer: “Se alguma coisa acontecer com a gente já sabem, meu povo”. Lorena ainda compartilhou uma publicação onde um internauta criticava a a polícia: “Vocês não conseguem ver um preto livre e bem? Querem sempre nos ver nos piores espaços? Vergonha demais esse trabalho que vocês fazem”.

Racismo do Itaú contra Lorena Vieira, mulher do DJ Rennan da Penha, gera  revolta - CUT - Central Única dos Trabalhadores
(FOTO: Reprodução)

Ano passado, Rennan da Penha foi condenado a seis anos e oito meses de prisão em regime fechado por suposta associação ao tráfico. O DJ, que é considerado o precursor do funk 150 BPM, chegou a ficar preso por sete meses, mas acabou sendo solto depois de ser beneficiado por uma decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que resolveu seguir um novo entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal) contra prisão após a condenação em segunda instância.