Após ser processada por parque de diversões, Taylor Swift entra com ação judicial

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Taylor Swift fez sucesso – crítico e comercial – com seu último álbum de estúdio, ‘evermore’, mas parece que nem todo mundo está feliz com o projeto. Um parque temático de fantasias também chamado Evermore, em Utah, está processando a cantora por violação de marca registrada.

Mas, agora, parece que o jogo virou, segundo a Billboard, a empresa de gerenciamento de propriedade intelectual de Taylor afirma que o parque temático usou sua música sem pagar as licenças adequadas. O novo processo movido pela TAS [Taylor Alison Swift] Rights Management afirma que o Evermore Park intencionalmente usou as músicas de Swift sem as licenças por algum tempo antes de entrar com o processo contra ela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os advogados de Taylor afirmam que mais de um ano antes do parque entrar com o processo, o TAS foi avisado de que as músicas da cantora estavam sendo executadas e tocadas lá sem a licença necessária. Já em 2019, a BMI, a organização de direitos performáticos que protege e arrecada receitas para as obras, começou a informar ao parque que eles estavam infringindo os direitos autorais de Taylor Swift.

Relembre a confusão:

O parque alega que o disco de Taylor “levou a confusos visitantes e afetou negativamente a capacidade de pesquisa do parque no Google”, além de “infringir nos designs de mercadorias do parque e capas de álbuns de suas trilhas sonoras originais”. A ação, movida em um Tribunal Distrital dos Estados Unidos, em Utah, no dia 2 de fevereiro, busca milhões de dólares em danos, incluindo todas as taxas legais.

Capa do álbum ‘evermore’, de Taylor Swift (FOTO: Reprodução)

VEJA MAIS: Empresário se arrepende de festa na casa de Elba Ramalho: “Pedi desculpas”

Os representantes do parque também alegam que apesar da cantora “já ter declarado publicamente seu apoio aos artistas pequenos, que enfrentam adversários maiores e mais bem financiados”, ela agora quer “enterrar os álbuns anteriormente criados e lançados por Evermore e se apropriar indevidamente da marca, sem qualquer compensação para [o parque] Evermore, porque a empresa enfrenta ‘dificuldades financeiras devido à pandemia de COVID-19’ e não se pode dar ao luxo de se envolver em litígios prolongados”.

De acordo com a Vulture, os advogados de Taylor apresentaram uma carta ao tribunal, afirmando que o processo é “inconcebível”. “Simplificando, as partes de Swift não infringiram a marca registrada de seu cliente”, diz a carta. “É inconcebível que haja qualquer risco de confusão entre o parque temático do seu cliente e os produtos relacionados e a música da Sra. Swift e produtos relacionados”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio