As cantoras norte-americanas Aretha Franklin e Jennifer Hudson (FOTO: Reprodução)

Em breve deverá ser lançado um filme trazendo a história de Aretha Franklin, que faleceu aos 76 anos nesta quinta-feira (dia 16). Com lançamento previsto para janeiro, o longa-metragem ainda está em fase inicial de desenvolvimento e o nome mais cotado para interpretar a rainha do soul continua sendo o da cantora e atriz Jennifer Hudson.

Hudson que foi escolhida pela própria Aretha Franklin, conquistou o Oscar interpretando uma cantora de soul music no musical “Dreamgirls”, filme de 2006 inspirado na trajetória do grupo The Supremes. Ela foi revelada no reality musical American Idol e seu álbum de estreia conquistou o prêmio Grammy como melhor álbum R&B.

No anúncio de sua escalação em janeiro, em uma festa pré-Grammy, Jennifer Hudson cantou “Respect” e “(You Make me Feel Like) a Natural Woman”, alguns dos maiores sucessos de Franklin.

O filme, vale lembrar vem sendo planejado há alguns anos, será produzido pelos estúdios MGM e deve se basear na autobiografia “Aretha: From These Roots”, lançada em 1998.

A produção ficará a cargo de Scott Bernstein, de “Straight Outta Compton: A História do N.W.A.”, e Harvey Mason Jr., produtor musical que já trabalhou com Aretha Franklin e também esteve por trás da trilha sonora de “Dreamgirls”.

Rainha do Soul, Aretha Franklin morre aos 76 anos vítima de câncer

A cantora Aretha Franklin, conhecida como “Rainha do Soul”, morreu nesta quinta-feira (dia 16) de acordo com um comunicado divulgado por sua família.

A artista faleceu às 9h50 da manhã em sua casa em Detroit, cercada por familiares e amigos, segundo uma declaração de sua antiga publicitária, Gwendolyn Quinn. A causa da morte foi o avanço do câncer de pâncreas da cantora e que foi confirmada pelo oncologista da artista, de acordo com o comunicado da família.

VEJA TAMBÉM: Adele faz homenagem à sua melhor amiga após diagnóstico de depressão

Sua morte acontece três dias após uma fonte próxima a família de Franklin afirmar a CNN, que a cantora estava em tratamento paliativo.

“Em um dos piores momentos das nossas vidas, não conseguimos encontrar as palavras certas para expressar a dor em nosso coração. Perdemos nossa matriarca e a sustentação da nossa família. O amor que ela tinha por seus filhos, netos, sobrinhos e primos não tinha limites”, disse a família da cantora por meio de um comunicado.

“Estamos emocionados com todo o amor e apoio que recebemos de amigos e fãs. Obrigado pela compaixão e orações. Sentimos o amor de vocês por Aretha e ele nos trouxe conforto para entender que o legado dela vai permanecer. Em nosso luto, pedimos respeito e privacidade nessa hora difícil”, afirmou a família de Franklin.

Nos últimos anos, mesmo enfrentando problemas de saúde e com a aparência já mais frágil nas fotos recentes, a cantora optou por manter sua luta de maneira privada. No mês de fevereiro de 2017, Aretha Franklin anunciou que iria parar de fazer turnês, mas que continuaria a fazer shows. Já no início deste ano, ela cancelou apresentações, incluindo uma no New Orleans Jazz Fest, por recomendações médicas, segundo a revista Rolling Stone. A última apresentação pública da cantora foi em novembro passado, quando ela cantou em uma festa da Elton John AIDS Foundation em Nova York.

Ao longo da carreira, Aretha Franklin acumula 18 prêmios Grammy e alguns dos seus maiores sucessos são “A Natural Woman” (1968), “Day Dreaming” (1972), “Jump to It”(1982), “Freeway of Love” (1985) e “A Rose Is Still A Rose” (1998).

No ano de 1987, a cantora se tornou a primeira mulher a entrar no Salão da Fama do Rock and Roll. Já em 2005, Aretha Franklin recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade, que é a maior condecoração para um cidadão estadunidense. A artista recebeu a Medalha das mãos do presidente George W. Bush. Aretha Franklin também cantou em janeiro de 2009 na cerimônia de posse do presidente Barack Obama.