As fotos mais raras de Cardi B antes da fama

Publicado em 11/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma das rappers mais famosas do mundo, Cardi B explodiu a cena musical ao lançar seu single “Bodak Yellow” em 2017. Depois disso, ela rapidamente se tornou um nome familiar, encantando os fãs com sua personalidade ousada e sexy estilo, sua sinceridade autêntica, e sua capacidade de soltar sua sabedoria em cada rima. As informações são do The List.

Mas Cardi B nem sempre foi a celebridade poderosa que é agora. Em vez disso, ela teve um começo de vida bastante difícil e teve que lutar com unhas e dentes por literalmente tudo o que tem. Além disso, ela enfrentou vários obstáculos ao longo do caminho, forçando-a a seguir um caminho pela vida que não estava exatamente madura para oportunidades. Mas Cardi não deixou que o mundo a derrubasse. Em vez disso, ela conseguiu assumir o controle.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

(FOTO: Reprodução The List)

Embora o mundo a conheça como Cardi B, o nome que ela recebeu ao nascer, em 1992, de seu pai dominicano e mãe de Trinidad foi Belcalis Almanzar, de acordo com a revista Fader. Ela atingiu a maioridade na cidade de Nova York e teve uma educação bastante rígida, já que sua mãe não a deixava usar roupas curtas por medo de perder a virgindade muito cedo ou ser vítima de homens oportunistas e abusivos. Além disso, Cardi B se descreveu como “uma criança muito frágil”, segundo a GQ.

A principal razão pela qual Cardi B era tão vulnerável era por causa de sua saúde. “Minha mãe chorava muito porque tinha medo de que eu adormecesse e morresse de asma”, revelou ela em entrevista à revista masculina. Sua asma era tão grave, na verdade, que ela passava semanas no hospital por causa disso. “As pessoas costumavam dizer à minha mãe: ‘Ela não vai sobreviver’”, continuou ela, mostrando como a condição era terrível. Felizmente para todos nós, Cardi B ainda está aqui e está mais forte do que nunca.

(FOTO: Reprodução The List)

Nova York pode ser um lugar de muito glamour, mas a parte dela de onde Cardi B veio não é exatamente uma armadilha para turistas. “Eu tive que ficar dura quando nos mudamos para o Bronx na sexta série, porque se você não o fizer, as pessoas vão pegar no seu pé.” Essa é uma experiência muito intensa para uma criança tão pequena aprender – você pensaria que seria mais importante se concentrar em coisas como prática da banda e dever de matemática nessa idade, não na sobrevivência básica.

Infelizmente para Cardi B, ela se destacou em sua nova escola, e isso atraiu a atenção para ela. “Eu estava sendo atormentada pela maneira como me vestia”, ela continuou.

(FOTO: Reprodução The List)

Crescendo onde Cardi B cresceu, a pressão para entrar em uma gangue era real – algo que ela fez quando tinha 16 anos. Mas ela não aconselharia fazer o mesmo por um motivo simples: não é lucrativo. “É por isso que não falo muito sobre isso”, revelou ela em entrevista à revista GQ . “Porque eu não gostaria que um jovem, uma garota, pensasse que não há problema em se juntar a uma gangue.” Isso explica por que ela não fala mais sobre esse aspecto de sua vida.

Ela é 100% sincera sobre esse raciocínio também. “Não se trata de violência”, continuou ela. “É exatamente como você não tem dinheiro. E se você não está ganhando dinheiro, vai ser difícil pagar as contas e colocar comida na mesa.”

Isso não significa que Cardi B trate sua filiação a gangue com desprezo. Em vez disso, ela realmente diz que tirou algumas coisas positivas de seu tempo como um membro ativo de gangue. “Então, novamente, é uma ótima experiência”, ela admitiu em uma entrevista ao iD . “Eu não seria capaz de fazer rap sobre as coisas que faço rap agora [sem ele].”

(FOTO: Reprodução The List)

Apesar das pressões que Cardi B enfrentou enquanto crescia, ela se interessava por estudos e gostava de aprender. Ela frequentou a Renaissance High School de Musical Theatre and Technology, em seguida, matriculou-se em uma faculdade comunitária em Manhattan após a formatura em 2010. Lá, ela fez cursos de francês, civilização ocidental e ciências políticas. “Achei que poderia ser professora de história um dia, mas o que me desestimulou foi quando me disseram quanto você ganha”, ela lembrou em uma entrevista ao  iD. “Eu não gostei disso.”

Além disso, Cardi B teve muitas atividades durante aqueles anos, então depois de alguns semestres ela acabou abandonando a escola. Na época, ela também trabalhava em tempo integral no Amish Market, uma mercearia que não pagava muito bem. “Eu estava trabalhando a semana toda [no mercado] e ainda estava ganhando apenas, tipo, 250 dólares, porra”, ela compartilhou em uma entrevista com Fader. Claramente, então, era hora de encontrar um empreendimento mais lucrativo. 

(FOTO: Reprodução The List)

Depois de ser demitida do Mercado Amish, um dos gerentes do Cardi na loja sugeriu que ela tentasse ser stripper. “Ele estava tipo, ‘Você é tão bonita, você tem um corpo bonito.’ Ele me disse para atravessar a rua para o New York Dolls, o clube de strip”, ela compartilhou em uma entrevista com Fader. Então, aos 19 anos, ela começou a fazer strip-tease – e pela primeira vez na vida, a ganhar dinheiro de verdade.

Com esse dinheiro veio a liberdade para Cardi B, pois na época ela estava falida e morando com um ex-namorado abusivo (e seus dois pit bulls) em um quarto da casa de sua mãe. “Isso realmente me salvou de muitas coisas”, ela confessou em uma entrevista para a TV Vlad. 

Mas embora o strip permitisse que Cardi B saísse de uma situação abusiva e se tornasse financeiramente independente, ela não gostava muito disso, e sua auto-estima sofreu alguns golpes, pois ela não estava tão confiante com seu corpo. Com isso, ela fez algumas modificações corporais para se manter fiscalmente viável.

(FOTO: Reprodução The List)

O maior avanço da Cardi B não aconteceu quando alguém deu -lhe alguma coisa, mas quando ela aproveitou a oportunidade para enviar sua arte para o mundo. Em 2017, ela lançou seu single “Bodak Yellow”, que arrebatou a cena do hip hop. A canção alcançou o primeiro lugar nas paradas da  Billboard no final daquele ano, tornando-a a primeira rapper mulher a receber a homenagem em quase 20 anos. Ela também tirou Taylor Swift do primeiro lugar.

(FOTO: Reprodução The List)

Na época, Cardi B não percebeu a importância do sucesso da música. “Quando cheguei ao primeiro lugar, nem sabia que nenhuma mulher fazia isso desde 1998”, revelou ela em entrevista ao iD . “Não sabia o quão importante era para a comunidade ou para as minorias.” De fato, foi, e depois disso, milhões de pessoas ouviram cada palavra sua, ansiosamente esperando para ver o que ela faria a seguir.

(FOTO: Reprodução The List)

Pode ser surpreendente para algumas pessoas saber que Cardi B é uma feminista, algo que nem sempre é aparente em algumas de suas letras. Mas a rapper é de fato um membro da irmandade e, claro, ela o faz de uma maneira totalmente própria. “Ser feminista é uma coisa tão boa e algumas pessoas acham que alguém como eu não pode ser tão bom assim”, explicou ela em uma entrevista de 2018 com a iD. “Algumas pessoas são inteligentes, mas não têm senso comum.”

Para Cardi B, o feminismo também não é um conceito complicado; é algo que ela quebra facilmente. “Mas ser feminista é realmente simples; uma mulher pode fazer as mesmas coisas que um homem”, ela continuou. “Qualquer coisa que um homem pode fazer, eu posso fazer. Temos a mesma liberdade.” E com tudo o que a rapper conquistou até agora em sua vida, é muito fácil ver como isso é verdade. 

Cardi B fala suas músicas preferidas de Beyoncé, Rihanna e Taylor Swift

Cardi B está aproveitando sua gravidez para ouvir algumas músicas do passado, e aproveitou para revelar seus hits preferidos de Beyoncé, Rihanna e Taylor Swift!

Se tratando da dona da Fenty Beauty, as faixas preferidos da mamãe de segunda viagem são “Jump” (do álbum “Unapologetic”) e “Skin” (do álbum Loud).

Já quando o assunto é Queen B, para Cardi o melhor álbum é BEYONCÉ de 2013! As músicas que ela mais gosta são “Mine” e “Partition”.

Sobre Taylor, Cardi B não fez muita cerimônia e revelou que seu preferido é “folklore“!

Após show no Superbowl, Beyoncé e Bruno Mars podem finalmente lançar feat

Fogo no parquinho! Longe da da música desde o projeto ‘The Lion King: The Gift‘, a norte-americana Beyoncé pode estar preparando uma parceria super quente para os próximos tempos: uma parceria com a nova dupla de Bruno Mars.

Depois do sucesso irrefreável de ‘Leave The Door Open‘, os hitmakers Bruno Mars e Anderson Paak seguem preparando o primeiro disco da recém formada dupla. Aumentando ainda mais as apostas sobre o projeto, haveriam grandes possibilidades do disco contar com uma participação de Beyoncé.

De acordo com um insider do fórum ATRL, a faixa pode ser trabalhada como próximo single, e deve ser lançada muito em breve com o título de “Sweet Thing”.

VEJA MAIS: Família de Anitta vai expulsar Juliette da mansão da cantora?

O feat entre Beyoncé e Bruno Mars é um desejo de longa data dos fãs desde a explosiva performance no “Super Bowl” em 2016, considerada por muita gente uma das mais caprichada dos últimos anos no badalado evento esportivo. Mesmo com a informação ressurgindo mais uma vez, o público espera ansiosamente pelo dia em que Bruno e Beyoncé unirão forças novamente. É aguardar pra ver se rola mesmo! Estamos na torcida 🙂

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio