A legendária banda britânica The Beatles (FOTO: Reprodução)

Nos anos 60, o termo “Beatlemania” se referia ao comportamento frenético de fãs principalmente femininas dos Beatles. O termo fazia parte da revolução cultural, coincidindo com a eclosão do feminismo. Durante o auge do sucesso dos Beatles, o feminismo começou a encontrar uma voz na sociedade. Com movimentos como remuneração e oportunidades iguais, maior independência intelectual e financeira, os Beatles não foram as únicas pessoas a celebrar ‘novas mulheres’.

Não havia dúvida de que os Beatles tinham seguidoras femininas fanáticas. Quatro jovens rapazes de Liverpool, tinham garotas enlouquecidas por eles e ficou claro o porquê. Não foi até a chegada deles na América em 1964 que a ‘Beatlemania’ decolou.

A explosão generalizada tornou-se revolucionária, na medida em que caracterizou por mulheres de comportamento intensa e ocorreu em harmonia com a decolagem do movimento feminista.

Enquanto o Fab Four claramente causou um frenesi entre as mulheres nos anos 60, pouco se sabe sobre como as mulheres os influenciaram. Algumas figuras femininas poderosas estiveram ao lado deles ao longo de suas jornadas, como Cilla Black, Maureen Starkey, Jane Asher, Cynthia Lennon, Yoko Ono, Linda McCartney, Pattie Boyd, além de membros familiares importantes da banda, incluindo a tia Mimi de John.

Maureen Starkey

Maureen Cox e Ringo. (Foto: Reprodução/Internet)

Maureen Cox, a ex-mulher de Ringo era de Liverpool – a mesma cidade natal do The Fab Four. Figura frequente no Cavern Club, Maureen conheceu seu futuro marido no local famoso, e o casal se casou em fevereiro de 1965.

Como fã dos Beatles, ela ajudou no Clube de Fãs dos Beatles desde 1962, respondendo a correspondências enviadas a Ringo.

Cox evitou amplamente as atenções da imprensa e desfrutou de seu relativo anonimato nos primeiros anos. Ringo falou de sua natureza humilde: “Ela é meio que comum, ela é de Liverpool.”

VEJA TAMBÉM: Anitta recebe alta de hospital e comemora volta pra casa: “Estou livre”

Aos 48 anos, Maurreen faleceu devido complicações relacionadas a leucemia em 1994.

Yoko Ono

yoko ono pau
O cantor e compositor John Lennon e a artista Yoko Ono (FOTO: Reprodução)

Yoko, esposa do falecido John Lennon, continua sendo uma figura feminina poderosa até hoje. A artista e ativista da paz japonesa se casou com John em março de 1966 e eles rapidamente se tornaram inseparáveis.

“Eu acho que todas as mulheres são bruxas, no sentido de que uma bruxa é um ser mágico. Não tenha medo de bruxas, porque somos boas bruxas e você deve apreciar nosso poder mágico.” – Yoko Ono

Yoko foi sem dúvida uma grande influência no Beatles; além de se referirem a ela em álbuns como ‘Wedding Album’ e ‘Double Fantasy’, John mencionou ela em muitas de suas músicas. “Julia” trazia uma referência a “criança do oceano”, o significado kanji de “Yoko”, juntamente com sua inspiração em canções de amor como “Dont Let Me Down” e “The Ballad of John and Yoko”. “Mas eu posso ficar sozinho sem Yoko, mas eu simplesmente não quero” – John Lennon.

Pattie Boyd

Pattie Boyd. (Foto: Reprodução/Internet)

A carreira de modelo de Pattie Boyd estava voando quando ela foi escalada para o filme dos Beatles “A Hard Day’s Night” em 1964, onde conheceu o futuro marido George Harrison. A fotógrafa e ex-modelo foi casada com o ex-Beatle (1966 a 1977) e com Eric Clapton (1979 a 1989).

Como Yoko era para John, Pattie foi uma fonte de inspiração para Harrison em sua composição; A bela música de George ‘Something’ era sobre Pattie.

Acima está Pattie no Pier Head Site no ano passado, posando ao lado de uma foto dela e do então marido George Harrison já falecido.

Linda & Stella McCartney

Linda e Paul McCartney. (Foto: Reprodução/Internet)

Linda McCartney era fotógrafa, musicista e ativista dos direitos dos animais. Ela se casou com Paul McCartney em 1969, permanecendo juntos até sua morte em 1998.

Ao longo de sua carreira, ela fotografou artistas como Aretha Franklin, Jimi Hendrix, Bob Dylan, Janis Joplin, Eric Clapton, The Who e The Doors. O retrato de Eric Clapton tirada na capa da edição de 11 de maio de 1968 da revista Rolling Stone foi a primeira foto de capa da Rolling Stone a ser fotografada por uma mulher.

Exposição Fotográfica de Linda McCartney: Paul, Rock e Família ...

Como figura central na vida de Paul, ela o apoiou durante toda a sua carreira solo e nos Beatles. Na época do fim do quarteto, Paul entrou em depressão profunda, no qual ele disse mais tarde que Linda o ajudou a sair. Ela elogiou o trabalho dele como compositor e o convenceu a continuar escrevendo e gravando.

“Ela é um ombro para se apoiar, uma segunda opinião e uma fotógrafa de renome. Mais do que tudo isso, ela acredita em mim – constantemente.” – Paul McCartney, 1970.

Stella McCartney, filha de Paul e Linda, continua a ser uma designer de moda extremamente bem-sucedida. Dirigindo seu trabalho com grande força, ela, sem dúvida, obtém seu talento e ética conquistados através de seus pais idolatrados.

Entre algumas das maiores realizações de Stella, foi a nomeação ao OBE em 2013 por serviços de moda, além de ter sido aclamada como uma das 100 mulheres mais poderosas do Reino Unido pelo Woman’s Hour na BBC Radio 4.

Os Beatles e as mulheres associadas a eles continuam a ser uma fonte de inspiração e influência em todo o mundo, assim diz o ditado popular: “Por trás de todo grande homem, há uma grande mulher” … ou a opinião de Lennon: “Como sempre, há uma grande mulher por trás de todo idiota” – John Lennon.

Sem as mulheres, os Beatles não teriam sido capazes de apresentar alguns de seus hits mais atemporais.