Banda britânica de heavy metal, Judas Priest (FOTO: Reprodução)

Rob Halford, vocalista do Judas Priest, revelou em entrevista ao site NME que chegou a ser preso após ser pego fazendo sexo em um banheiro público na Califórnia há alguns anos. Entretanto, segundo o astro, logo após ser detido foi liberado, isso porque os policiais eram seu fã.

A polícia me fez um favor em manter isso longe da imprensa porque isso teria sido grande. Eu sempre me refiro a isso como meu momento George Michael“, explicou Rob, se referindo ao caso de George Michael, que foi preso em 1998 por fazer sexo em um banheiro público.

VEJA TAMBÉM: Grávida, esposa de John Legend revela sexo do bebê sem querer!

Durante o bate-papo, o vocalista afirma que “teve sorte” do seu caso não ter sido divulgado pela imprensa, já que isso poderia afetar a visão que as pessoas têm sobre a comunidade gay.

O triste é que isso faz com que as pessoas que não entendem a comunidade gay simplesmente pensem: ‘Obviamente, eles são apenas um bando de pervertidos’. E isso é horrível“, finalizou Rob Halford.

O cantor Rob Halford (Foto: Reprodução / Instagram)
O cantor Rob Halford (Foto: Reprodução / Instagram)

Há alguns dias, o cantor lançou sua autobiografia onde revelou que foi abusado sexualmente por um amigo de seu pai, na infância.

É uma história importante. O abuso sexual é uma coisa horrível. Na época, foi terrivelmente confuso e não poderia ter acontecido em pior hora para mim, como um jovem que já estava tentando descobrir as coisas”, revelou.

E continua: “Falando sobre isso agora, posso sentir o horror e estar totalmente assustado e com vontade de fugir. Mas, ao mesmo tempo, sinto: ‘Agora isso é afeto, de uma forma muito crua e brutal’. Foi incrivelmente complexo. Você só pode imaginar como é para um jovem lidar com esse tipo de agressão”.

Segundo Rob, se seu pai estivesse vivo, ele provavelmente não revelaria o estupro: “Eu odiaria que meu pai sentisse que era cúmplice disso de alguma forma, porque ele absolutamente não era”.

O vocalista do Judas Priest ainda disse que consegue lidar bem com o trauma: “Se esses incidentes nunca tivessem acontecido quando eu era adolescente, eu teria me tornado alguém diferente, [em relação à] minha intimidade com outras pessoas? Provavelmente sim.