Astro do rock defendeu Michael Jackson de acusações de pedofilia

Os integrantes do Nirvana eram grandes fãs do Rei do Pop

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Michael Jackson era o assunto da indústria musical quando foi acusado de abuso sexual infantil. Kurt Cobain, vocalista da banda de grunge rock Nirvana, defendeu o cantor durante o tempo tumultuado. 

Em 1993, Michael foi acusado de abuso sexual infantil pelo menino de 13 anos, Jordan Chandler. O abuso supostamente ocorreu na enorme casa do cantor, em Neverland Santa Barbara, Califórnia. Com a incerteza girando na imprensa sobre as alegações, vários membros da indústria da música estavam sendo questionados sobre suas opiniões sobre Jackson, incluindo o Nirvana. Na época, a banda baseada em Washington estava explodindo em popularidade após o lançamento de seu segundo álbum, Nevermind.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

VEJA MAIS: Drake fará pausa na carreira por motivos de saúde e cirurgia

Perguntaram ao Nirvana “o que eles pensavam” sobre as acusações feitas contra Michael Jackson.

Cobain respondeu: “Não temos o direito de sequer … Acho isso ridículo, é uma perda de tempo.” O cantor do Smells Like Teen Spirit então perguntou: “Então, as autoridades estão chamando Michael de volta para os Estados Unidos? Ele está realmente infringindo a lei agora?”

A entrevista explicou que Jackson não estava infringindo a lei, mas um processo civil “estava pendente” no momento. O cantor, por sua vez, respondeu: “Como se ele não fosse [um fugitivo]. Qual é o problema? Ele tem todo o direito de estar ausente até então. ”

Cobain então deu suas opiniões sobre como Jackson poderia reconstruir sua imagem pública. Ele disse: “Não faria diferença se ele voltasse à Oprah e chorasse na frente de todo mundo. Não vai mudar a opinião de ninguém sobre isso. Eu realmente sinto muito por ele”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio