luan santana
O cantor sul-mato-grossense Luan Santana (FOTO: Reprodução)

Segundo o Movimento Country, Sérgio Reis e Almir Sater serão homenageados em remake de “Pantanal“. Na trama original, os sertanejos interpretaram Tibério e Trindade. Agora, quem voltou a falar sobre o assunto da novela foi ninguém menos que Luan Santana.

Agora ao portal Gshow, o músico contou que aceitaria, sim, o convite para fazer parte da história que vem sendo reescrita agora por Bruno Luperi, neto de Benedito Ruy Barbosa, criador da trama original. O cantor comentou que até toparia mudar sua agenda musical para seu trabalho como ator.

“O convite não chegou, mas se vier: é sim. Gosto muito de atuar. Seria uma honra estar nessa novela que foi um sucesso e que traz um nome que é tão importante para o nosso país. Como sul mato-grossense e empenhado no projeto do Pantanal, eu seria muito grato em fazer parte do elenco”, confirma o cantor.

Luan Santana também revelou como encararia o papel que foi de seu conterrâneo Almir Sater, que viveu o personagem Trindade. Os dois cantores vale lembrar, nasceram na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

“Sem dúvida faria! E tem tudo a ver com a minha essência. Interpretar um violeiro, no Pantanal, seria uma bênção. Ou o Jove (Joventino, vivido por Marcos Winter na primeira versão).”

Numa entrevista recente para Thailla Torres do Campo Grande News, Almir falou que apoia Luan Santana fazendo seu papel na nova versão. Sobre a novela, o músico veterano disse ao site: “Tenho boas lembranças daquele ano [1990], estava todo mundo muito feliz, a novela mexia muito com a emoção das pessoas. E com o sucesso tudo é mais fácil, as pessoas encaravam mosquitos, dificuldades, erámos também atores jovens, mas não me esqueço da felicidade constante nos bastidores“.

Sérgio Reis e Almir Sater na novela Pantanal.
(FOTO: Reprodução)

LEIA TAMBÉM: Compositor critica arrogância de Gusttavo Lima após ficar milionário com hit do cantor

Já sobre os rumores de que Luan Santana daria viva ao personagem que lhe consagrou há alguns anos, Sater respondeu: “Ele é um bom menino, bonitão, que arrebenta, acho que vai ser legal. Talvez ele precise trabalhar um pouco mais a viola, mas ele vai se sair bem.”

O músico veterano diz que não tem altas expectativas sobre a nova versão, mas está ansioso. “É um projeto ousado, vejo que as pessoas estão com muita vontade de fazer, muitos estão vindo ao Pantanal para conhecer após a notícia do remake. Sinto que o mundo mudou muito, mas o Pantanal mudou pouco. Vai ser interessante ver como eles vão recontar essa história”.