rihanna
A cantora barbadiana Rihanna (FOTO: Reprodução)

A atriz e comediante Amy Schumer aprovou tanto uma recente decisão de Rihanna que decidiu fazer igual. Assim como a cantora, a humorista também se recusou a associar seu nome à final do campeonato de futebol americano da NFL, o Super Bowl. Enquanto Rihanna negou se apresentar no prestigiado intervalo da partida final da liga americana, Amy Schumer optou por recusar estrelar comerciais.

VEJA TAMBÉM: Marcelo D2 critica Bolsonaro e é chamado de “maconheirinho”

As duas artistas recusaram as ofertas em apoio ao jogador Colin Kaepernick, afastado da liga por ter se negado a levantar na hora de cantar o hino nacional estadunidense no início de um jogo. Ao invés disto, o atleta se ajoelhou, protestando contra a brutalidade racial causada pela polícia norte-americana, uma das marcas do governo Trump. Amy Schumer ainda sugeriu que a banda Maroon 5, anunciada para o show do intervalo de 2019, se posicione e também cancele sua apresentação. Confira a postagem que a humorista fez no Instagram:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Friday thought. I wonder why more white players aren’t kneeling. Once you witness the truly deep inequality and endless racism people of color face in our country, not to mention the police brutality and murders. Why not kneel next to your brothers? Otherwise how are you not complicit? I think it would be cool if @maroon5 backed out of super bowl like @badgalriri Did. I personally told my reps I wouldn’t do a Super Bowl commercial this year. I know it must sound like a privilege ass sacrifice but it’s all i got. Hitting the nfl with the advertisers is the only way to really hurt them. I know opposing the nfl is like opposing the nra. Very tough, but don’t you want to be proud of how you’re living? Stand up for your brothers and sisters of color. And the hottest thing a guy can do is get down on one knee. Not to propose but to reject the treatment of his teammates by this country. Anyone who says its disrespectful to our military please read up on the fact that a lot of veterans are proud of what @kaepernick7 is doing and fully support him. What are your thoughts?

Uma publicação compartilhada por @ amyschumer em

“Eu me pergunto porque mais jogadores brancos não estão se ajoelhando, uma vez que você testemunha a profunda desigualdade e o infinito racismo que pessoas de cor enfrentam em nosso país, isso para não mencionar a brutalidade policial e os assassinatos. Por que não se ajoelhar ao lado de deus irmãos? Caso contrário, como você não é cúmplice? Eu acho que seria legal se o Maroon 5 desistisse do Super Bowl como Rihanna fez. Eu particularmente disse aos meus representantes que não faria um comercial do Super Bowl este ano. Eu sei que isso deve soar como um sacrifício de gente privilegiada, mas é o que eu tenho. Bater na NFL com os anunciantes é a única maneira de realmente feri-los. Eu sei que se opor à NFL é como se opor a NRA. É muito duro, mas você não quer sentir orgulho de como está vivendo? Levante-se por seus irmãos e irmãs de cor. A coisa mais gostosa que um cara pode fazer é se ajoelhar – não para pedirem casamento mas para rejeitar o tratamento de seus companheiros de equipe neste país. Qualquer um que disser que é desrespeito com nossos militares, por favor leia sobre o fato de muitos veteranos estarem orgulhosos do que Kaepernick está fazendo e apoiando-o completamente. Quais são seus pensamentos?”.

No mês de setembro, o Maroon 5 foi anunciado pela Billboard como atração do Super Bowl. A banda segue em alta nos Estados Unidos com o single “Girls Like You”, sua parceria com Cardi B, que lidera a Hot 100 há um mês. O evento esportivo está marcado para 3 de fevereiro de 2019.

Rihanna recusa Super Bowl em apoio a protesto contra violência policial

O show de intervalo da partida final do Super Bowl, liga de futebol americano, é a maior audiência televisiva anual dos Estados Unidos. Ano após ano, um artista prepara uma grandiosa apresentação para o momento e em 2019, a Billboard confirmou que atração musical será a banda Maroon 5. Porém, o artista do evento poderia ter sido Rihanna se a cantora não tivesse simplesmente recusado a proposta segundo informações da revista US Weekly.

VEJA TAMBÉM: Roger Waters faz homenagem a mestre capoeirista morto por eleitor de Bolsonaro

A recusa da cantora barbadiana teria ocorrido “porque ela apoia Colin Kaepernick”. O atleta é um jogador norte-americano que recentemente fez um polêmico protesto contra a brutalidade e desigualdade racial da polícia estadunidense. Durante uma partida, o esportista se recusou a levantar durante o hino nacional dos Estados Unidos, permanecendo de joelhos. Assista abaixo:

“A NFL e a CBS realmente queriam que Rihanna fosse a artista do ano que vem em Atlanta”, revelou a fonte da revista US Weekly. “Eles ofereceram a ela, mas ela disse não por causa da controvérsia do hino nacional. Ela não concorda com a postura da NFL”, afirmou. Vale destacar que jogador permanece afastado das partidas desde a polêmica.