baby do brasil
A cantora fluminense Baby do Brasil (FOTO: Reprodução)

A cantora e compositora Tereza Cristina realizou uma live na última quarta-feira (dia 22) onde revisitou momentos da carreira musical de Baby do Brasil. Durante uma conversa com a artista, porém, a intérprete de 68 anos causou polêmica ao defender o uso de um remédio vermífugo para combater o novo coronavírus.

“Você já tomou ivermectina? Todo mundo fica sabendo que a ivermectina é um remédio pra verme, premiado, feito na Europa, em Portugal, quando você toma vai 97% do sangue, mata covid, chicungunha, dengue e piolho” afirmou Baby acrescentando que o vermífugo é “simplesmente o maior remédio de verme lá na Irlanda” e que “todos os velhinhos de um asilo” que ela conhece e que fizeram uso da substância não pegaram a doença.

LEIA TAMBÉM: Luísa Sonza pede sugestão de tatuagem após fãs verem “rosto” de Bolsonaro no cotovelo

A declaração de Baby do Brasil causou polêmica nas redes sociais, de internautas cobrando a cantora por indicar o vermífugo ainda sem maiores estudos conclusivos sobre o remédio. Confira abaixo:

A ivermectina, utilizada para tratamento contra parasitas em seres humanos e animais, vem sendo considerada por muitos como a nova medicação que irá curar — ou prevenir — a infecção contra o coronavírus. Apesar de não haver nenhum estudo conclusivo comprovando a eficácia do vermífugo para tratar a covid-19, o Sincofarma (Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo) confirma que houve um crescimento das prescrições, mas especialistas alertam para os riscos de uso indevido.

Cientistas australianos anunciaram em junho através dum estudo científico informando que o remédio conseguiu interromper a multiplicação do vírus em laboratório. Foi o suficiente para que muitos comprassem a medicação que é indicada para tratar de verminose, sarna e bicho geográfico.

Consultada pelo UOL, a professora associada do departamento de Microbiologia da UFMG, Giliane de Souza Trindade diz que é necessário que as pessoas saibam a diferença de um teste feito em laboratório para outro aplicado em seres vivos. “As pessoas ignoram isso, ficam procurando uma fórmula mágica. É a mesma coisa da cloroquina (que também não tem eficácia comprovada).” Para mais informações sobre a substância clique aqui.