BBB! Nove denúncias judiciais contra Karol Conká são arquivadas

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Karol Conká teve nove denúncias arquivadas por recomendação do Ministério Público.

As acusações contra a rapper são por seus comportamentos durante o Big Brother Brasil 21, principalmente contra Lucas Penteado e Juliette Freire. 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os juízes da 1ª e da 2ª Vara Criminal de Jacarapaguá, no Rio de Janeiro, anunciaram a decisão de livrar a cantora das ações judiciais e de inquérito e segundo informações do Notícias da TV, eles tiveram acesso aos documentos.

No início do mês de fevereiro, enquanto Karol ainda estava no reality show, o Ministério Público começou a investigá-la. 

O órgão recebeu 25 denúncias contra a artista, que foram encaminhadas para as promotorias responsáveis.

A cantora foi acusada por internautas por fazer violência psicológica contra Lucas e depois, chamá-lo de abusador. As ações da rapper contra Juliette também geraram muitas críticas.

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

Em uma ocasião em especial, em 29 de de janeiro, Karol criticou o jeito de falar da sister e ainda associou isso aos comportamentos dos nordestinos. “Eu sou de Curitiba, tenho muita educação para falar com as pessoas”, ela disse.

Sua atitude foi considerada preconceituosa e xenofóbica. Na época, a equipe de Karol Conká assumiu que ela estava errada e pediu perdão aos nordestinos.

O Ministério Público recebeu as denúncias e análises dos vídeos, porém, eles optaram por não instaurar o inquérito e ainda solicitaram o arquivamento do caso.

Segundo a promotora Denise Pieri Pitta,  da 1ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da área de Madureira e Jacarepaguá, os relatos são genéricos e ainda não indicam um crime em específico. 

A Justiça aceitou os pedidos de arquivamentos feitos pelo Ministério Público. E o juiz Aylton Cardoso Vasconcellos, titular da 2ª Vara Criminal, assinou quatro dos nove arquivamentos.

Os cinco restantes, foram assinados pela juíza Raphaela de Almeida Silva, da 1ª Vara Criminal regional de Jacarepaguá.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio