Billie Eilish
A cantora norte-americana Billie Eilish (FOTO: Reprodução)

Logo após o lançamento do clipe de “Everything I Wanted”, muitos fãs de Billie Eilish tiveram certeza que o vídeo era literalmente sobre suicídio, tema recorrente na carreira da artista. A jovem intérprete que costuma cantar sobre assuntos pesados, apresentou um vídeo onde aparece melancólica ao lado de irmão antes de afundar o carro que dirigiam direto no fundo do mar.

Na letra, Billie Eilish afirma que teve um sonho em que “achou que pudesse voar, pisou em falso, mas ninguém se importou”, apontando para a auto-destruição. Relembre o clipe, na imagem abaixo:

A canção é dedicada ao irmão e parceiro Finneas O’Connell, produtor e mente criativa por trás dos hits da cantora. E foi justamente por causa do irmão que a música acabou mudando de direção e ganhando um happy ending. Billie comentou sobre o assunto numa entrevista reveladora ao The New York Times.

VEJA TAMBÉM: Irmã gêmea? Garota idêntica à Anitta viraliza na web e ganha milhares de seguidores

As inspirações para a composição, realmente, vieram a partir de um sonho onde Billie Eilish acabava cometendo suicídio. Seu irmão, porém, acabou ficando desconfortável e bastante aflito em colaborar numa canção a respeito dum assunto tão delicado. “Tivemos uma grande discussão”, inicia ela, “porque eu admiti algo que era forte. Não era uma coisa física que eu estava admitindo. Não sei como colocar isso sem realmente dizer e não quero realmente dizer. Mas fui eu admitindo algo muito sério sobre minha depressão. Um passo muito sério que eu estava admitindo que estava planejando dar. E Finneas disse: eu não quero escrever uma música sobre você se matando e como isso é tudo o que você queria”, acrescenta.

Finneas também comentou sobre a espinhosa questão na mesma entrevista. “Foi um período em que fiquei realmente preocupado com minha irmã e me senti como um facilitador para ajudá-la a escrever uma música tão sombria quanto essa”, disse ele. “Como o equivalente musical de dar outra cerveja a um alcoólatra: ‘Não vou apoiar isso’. Muitas músicas são escritas em retrospecto, mas essa parecia que estava sendo escrita em tempo real, e eu fiquei tipo: – Isso é algo que precisamos escrever do outro lado desta colina. Temos que passar por isso na vida real. Você nem sempre pode resolver seus problemas em uma música”, justificou.

Após este episódio, Billie acabou passando por um forte tratamento a respeito de depressão e superou seus problemas. Então, a melancólica música passou a ter uma outra perspectiva. “Meu argumento, que eu acho que foi o que fez minha mãe e Finneas finalmente dizerem: ‘Oh, ok’, eu disse: ‘Essa música é a maneira que eu posso sentir essas coisas sem fazer algo comigo mesma’”, contou.

VEJA TAMBÉM: Billie Eilish tem joia roubada durante show; veja vídeo do momento

“Finneas e eu tivemos a ideia de fazer a música nossa relação sobre irmãos, em vez de apenas sobre mim e como eu estava me sentindo”, ela acrescenta, o que fica mais literal no clipe especialmente no final quando eles dão as mãos antes do trágico desfecho.

Suicídio

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero.

Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde). No Brasil, uma pessoa morre por suicídio a cada hora, enquanto outras três tentaram se matar sem sucesso no mesmo período.

O assunto é tão complexo que muitas pessoas evitam falar a respeito, o que nem sempre é a melhor decisão. Um problema dessa magnitude não pode ser negligenciado, pois sabe-se que o suicídio pode ser prevenido.

Uma comunicação correta, responsável e ética é uma ferramenta importante para evitar o efeito contágio.