Billie Eilish defende Drake após rapper ser acusado de assediar garotas jovens

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Billie Eilish acredita que as pessoas possuem questões mais importantes para se preocupar do que o fato de ela manter uma relação de amizade com o rapper Drake. No ano de 2019, a cantora revelação contou à revista Vanity Fair que trocava mensagens de texto com Drake (que já tinha sido criticado no passado por enviar mensagens para mulheres muito mais jovens). Billie explicou à publicação: “Drake é o cara mais legal com quem já falei. Quer dizer, eu só troquei mensagens com ele, mas ele é tão legal”.

Assim que as pessoas ficaram sabendo disso, a reação foi rápida. Agora, numa uma entrevista à Vogue, a cantora de 18 anos segue defendendo sua amizade com o rapper de 33 anos. “A internet está uma bagunça estúpida no momento”, afirmou Eilish à revista. “Todo mundo é tão sensível. Um homem adulto não pode ser fã de um artista? Há tantas pessoas com quem a internet deveria estar mais preocupada”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A artista também acrescentou: “Tipo, você realmente vai dizer que Drake é assustador porque ele é meu fã, e então vai votar no Trump? Que merda é essa?”. A cantora vencedora do Grammy – que recentemente se tornou a primeira artista feminina a vencer nas quatro principais categorias em uma noite – falou francamente sobre tudo, desde sua infância, sua relação com a fama, batalhas pessoais e seu processo criativo. “Isso foi loucura”, afirmou Eilish a respeito de sua noite histórica em janeiro na cerimônia do Grammy. “Se alguma coisa é empolgante para as crianças que fazem música no quarto… Acho que estamos progredindo nesse lugar – crianças que não têm dinheiro suficiente para usar os estúdios”.

VEJA TAMBÉM: Vídeos sensuais de Anitta são publicados em site pornô

Billie Eilish também comentou sobre o que isso significa para ela quando os críticos e fãs lhe chamam de “violadora de regras”. “Talvez as pessoas me vejam como infratora de regras, porque elas próprias sentem que precisam seguir regras, e aqui não estou fazendo isso”, justificou. “É ótimo se eu posso fazer com que alguém se sinta mais livre para fazer o que realmente deseja, em vez do que é esperado. Mas, para mim, nunca percebi que era esperado que fizesse alguma coisa. Acho que é isso – que eu nunca soube que havia algo a seguir. Ninguém me disse essa merda, então fiz o que queria”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio