Billie Eilish
A cantora norte-americana Billie Eilish (FOTO: Reprodução)

Em entrevista para um programa da plataforma de streaming Apple Music, a cantora Billie Eilish falou sobre algumas cantoras que marcaram sua infância.

Billie, que é uma fã declarada da princesa do pop, agradeceu a cantora por ter usado sua música ao fundo de um vídeo postado no Instagram: “Uma saudação para Britney (…). Eu estava no Instagram, há algumas semanas, e ela postou alguns vídeos tocando minhas músicas e eu quase caguei nas calças. Então eu te amo, Britney”.

Ela disse ainda que, assim como Britney dança suas músicas hoje em dia, na infância ela dançava as músicas de Britney: “Eu costumava dançar ‘Baby One More Time’ na minha sala com meu pequeno e horrível alto-falante.”

LEIA TAMBÉM: Dua Lipa se envolve em polêmica após postagem e web fica furiosa: “Ideia nazista”

Desde o ínicio da carreira, Billie Eilish lida com comparações à Avril Lavigne por seu estilo diferenciado do resto das cantoras pop – proposta adotada por Avril quando apareceu na mídia.

Sobre a canadense, Eilish declarou: “(Losing My Grip) é a minha música favorita da Avril, uma música muito importante da minha infância, assim como ‘Complicated’, ‘I’m With You’, ‘Sk8er Boi’, ‘Girlfriend’, e ‘Keep Holding On’. Mas esta voltou à minha vida em 2018, e costumávamos começar a cantar essa música, gritar essa música no carro. Deus, essa música…”.

A cantora de Bad Guy continuou: “Eu nunca ouvi um som como esse na minha vida. Não há outra música como esta. (…) Estou lhe dizendo, essa música não envelhece. Eu estava com meus colegas há dois anos atrás e nós gritávamos essa música onde quer que fossemos. Toda vez que ouço o começo dessa música, fico tipo ‘Ok, vamos nos preparar'”.

Sobre suas crenças, a artista contou: “Quando pequena, eu era super religiosa sem nenhuma razão. Minha família nunca foi religiosa. Eu não conhecia ninguém que fosse religioso. E por alguma razão, quando menina, eu era incrivelmente religiosa. E então isso continuou por anos. Mas a certa altura, não sei o que aconteceu. Isso desapareceu completamente”.

A vencedora do Grammy de Álbum do Ano disse que depois de um tempo, mudou radicalmente: “E então foi estranho, porque então eu tive alguns anos sendo quase anti-religiosa por nenhuma razão também. E não sei por que isso aconteceu. Não sei o que me fez assim”.

Mas, segundo Billie, hoje ela respeita todas as crenças, além de se interessar pelo assunto: “Depois desse período da minha vida, amei a ideia de outras crenças. E acho patético pessoas como eu de alguns anos atrás ter uma mente fechada. Eu adoro falar sobre o que as pessoas acreditam e ouvir por que acreditam (…). E principalmente se eu não concordar, porque gosto de ouvir e gosto de entender. E eu acho que é realmente importante apoiar todas as crenças do mundo e todas as opiniões e não humilhar as pessoas pelo que elas acreditam”.