Bob Dylan é envolvido em suposto caso de pedofilia de 1965

Mulher processa músico por crime que teria acontecido em 1965

Publicado em 16/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bob Dylan foi acusado de abuso sexual, agressão, cárcere privado e imposição de sofrimento emocional por uma mulher. Ela alega que tinha apenas 12 anos quando tudo teria acontecido. Um representante do músico negou as acusações.

Uma ação movida na sexta-feira (13 de agosto) para a Suprema Corte de Manhattan afirma que Dylan, então com cerca de 20 anos, injetou drogas e álcool na suposta vítima antes de abusar sexualmente dela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De acordo com o processo, conforme relatado pelo The New York Daily News, é alegado que ao longo de seis semanas entre abril e maio de 1965 Dylan “fez amizade e estabeleceu uma conexão emocional” com a garota (identificada no processo pelo nome “JC”) e abusou dela física e emocionalmente.

O processo acusa Dylan especificamente de agressão, espancamento, cárcere privado e inflição intencional de sofrimento emocional. Um representante de Dylan disse ao veículo que a acusação “não é verdadeira e será vigorosamente defendida”.

Em outra parte do documento, é alegado que JC “sofreu ferimentos físicos e psicológicos, incluindo, mas não se limitando a, emoção severa e sofrimento psicológico, humilhação, medo, dissociação, raiva, depressão, ansiedade, turbulência pessoal e perda de fé, um choque severo para seu sistema nervoso, dores físicas e angústias mentais e danos emocionais e psicológicos ”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio