Bohemian Rhapsody será exibido na China sem cenas gays de Freddie Mercury

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O filme “Bohemian Rhapsody”, sobre a vida e obra de Freddie Mercury e a ascensão da banda Queen chegará aos cinemas chineses, mas numa versão censurada. O longa não contará com algumas das sequências mais cruciais da história onde o protagonista exibe sua atração por homens.

Para surpresa de todos, Bohemian Rhapsody foi anunciado nos cinemas chineses na quarta (dia 27). A notícia foi divulgada com um ar de estranhamento, já que o discurso de Rami Malek no Oscar, protagonista do filme, foi censurado na TV chinesa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo informações do The Hollywood Reporter, o filme terá um corte de mais de um minuto. Serão editadas cenas em que personagens do mesmo sexo se beijam e em que o uso de drogas é retratado.

VEJA TAMBÉM: Documentário sobre a banda Queen focará na ascensão de Adam Lambert

Vale ressaltar que essa não é a primeira vez que um filme com temática gay sofre censura na China. O aclamado O Segredo de Brokeback Mountain foi banido no país asiático em 2005.

Bohemian Rhapsody retrata a rápida ascensão de Freddie Mercury (Rami Malek) e do Queen ao estrelato. A trama ainda pretende explorar a relação do líder com os seus colegas de banda, Brian May (Gwilym Lee), John Deacon (Joseph Mazzello) e Roger Taylor (Ben Hardy). O elenco ainda conta com participações de Lucy Boynton, Mike Myers e Tom Hollander.

A direção ficou a cargo de Bryan Singer, que foi demitido ao longo da produção, sendo substituído por Dexter Fletcher (Rocketman). Bohemian Rhapsody estreia nos cinemas chineses em 22 de março.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio