Britney vs Spears: Sam Asghari alfineta documentário da Netflix

Noivo da estrela reagiu ao trailer

Publicado em 23/09/2021 19:49
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sam Asghari, noivo de Britney Spears, não parece animado com o novo documentário da Netflix sobre a cantora pop. O ator afirmou que espera que a empresa não esteja lucrando com a batalha da estrela contra a tutela.

Comentando sobre o trailer na página do Instagram da Netflix, ele escreveu: “Espero que o lucro com esses documentários vá para a luta contra a injustiça” e ainda adicionou a hashtag “freebritney”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

(Foto: Reprodução/Instagram)

O trailer do documentário, que estreia em 28 de setembro, traz cenas de Spears, de 37, discutindo publicamente sua tutela pela primeira vez em 13 anos. “Eu só quero minha vida de volta”, disse a cantora no tribunal, em junho. “Trabalhei toda a minha vida. Eu não devo nada a essas pessoas.”

Britney vs Spears trará dados sigilosos sobre a tutela

O documentário mostra anos de trabalho investigativo, incluindo entrevistas exclusivas e documentos confidenciais que teriam vazado para a diretora Erin Lee Carr e para a jornalista Jenny Eliscu.

“O filme tece uma linha do tempo chocante de antigos e novos envolvidos, encontros secretos e a luta dos bastidores de Britney por sua própria autonomia. Mensagens de texto e correio de voz, bem como novas entrevistas com atores importantes, deixam claro o que a própria Britney atestou: a história completa ainda não foi contada”, diz comunicado da Netflix à imprensa.

Em entrevista ao Los Angeles Times, Carr diz que nunca conseguiu entrevistar Spears para o documentário, mas “tentou entrar em contato várias vezes” e até mesmo enviou uma carta que ela diz ter “motivos para acreditar que Britney conseguiu ler.”

“Tive que me contentar com a ideia de que seria improvável que isso [a entrevista com Spears] acontecesse”, disse ela à publicação.

Carr afirmou que durante as filmagens, eles tiveram “uma fonte ligada à tutela que começou a nos fornecer documentos no outono de 2020”.

“Foi a primeira vez que vi o que as pessoas envolvidas na tutela disseram. Me fez sentir que estava no caminho certo”, afirmou Carr sobre os documentos obtidos. “Porque havia um medo avassalador: ‘O que eu não sei? Por que o sistema legal, o pai dela, todo mundo a mantém nesta tutela? E se eu estiver fazendo uma história sobre algo onde simplesmente não posso ter acesso aos fatos certos?’.”, disse a diretora.

Quanto ao que você não verá neste documento, ela afirma: “[Ao fazer o filme,] estava tentando não ser outra pessoa que invade sua privacidade constantemente. Mas ela quer sair da tutela, portanto, devemos saber o que está acontecendo por trás disso. Eu especificamente tomei a decisão criativa de não utilizar as mesmas imagens que ela já disse serem traumatizantes. Os incidentes que aconteceram em 2007 durante um dos episódios no hospital – você nunca vai ver isso.”

Carr fez um apelo: “Se você se preocupa com as mulheres, deveria assistir a este filme. Se você se preocupa com saúde mental, deveria assistir a este filme. Se você é fã de Britney Spears, deveria assistir a este filme.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio