BTS é considerado um dos 5 músicos mais bem pagos do mundo

Publicado em 20/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em um artigo lançado pela Billboard em 19 de julho de 2021, o BTS foi nomeado um dos cinco músicos mais bem pagos do mundo. Para determinar quem ficou entre os 5 primeiros, a Billboard comparou os relatórios de receita física e digital da RIAA para 2020 com as estatísticas de receita global da IFPI.

Em seguida, estudaram as vendas internacionais de 22 artistas com base em suas classificações nas principais vendas e categorias de turnês. A publicação deduziu 30% dos royalties de todas as vendas fora dos EUA e receita de streaming.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além disso, as transmissões ao vivo, como Bang Bang Con de BTS em junho de 2020, não foram incluídas nos cálculos da Billboards devido a problemas de relatórios. Apesar da remoção das vendas fora dos EUA, receitas de streaming e da desqualificação de streams ao vivo, o BTS ainda conseguiu se classificar em quarto lugar na lista.

De acordo com a Billboard, a BTS teve uma receita total de US $ 31,5 milhões. O grupo tem uma estimativa de streaming de royalties de US $ 14,6 milhões e uma contagem de stream global de 17,3 bilhões.

Entre os cinco primeiros, BTS foi o único artista a ter US $ 0 na categoria de bilheteria para levar para casa. Apesar disso, eles ainda estavam em quarto lugar.

A Billboard observa que, entre os artistas listados entre os cinco primeiros, BTS é o único artista que não aparece entre os 10 maiores fabricantes de dinheiro dos EUA. Em vez disso, eles estão no décimo nono lugar da lista. O fato de terem terminado em quarto lugar na lista da Billboard mostra seu tremendo impacto global.

O lucro de US $ 8,9 milhões do grupo nos Estados Unidos foi um pouco mais de 25% de sua participação global. O que realmente empurrou o BTS para o quarto lugar são seus fluxos globais.

Conforme mencionado, eles têm uma contagem de stream global de 17,3 bilhões, com 9,8 bilhões provenientes de videoclipes e 7,4 bilhões provenientes de streams de áudio. O BTS foi, sem dúvida, o maior show de streaming do mundo em 2020.

Além disso, as vendas digitais extrapoladas do BTS e as vendas de álbuns físicos ajudaram a impulsionar o BTS na lista com base em seus totais nos EUA. Outros artistas mencionados na lista incluem Queen em número um, Taylor Swift em número dois, Billie Eilish em número três e Post Malone em número cinco.

Quem fica com a fortuna gerada pelo grupo BTS?

Todos sabem que o BTS é um dos maiores fenômenos da música atual. O grupo chegou a deixar Bang Si-hyuk, fundador da gravadora Big Hit Entertainment, bilionário.

Com todos seus álbuns alcançando a primeira posição nas paradas da Billboard, seu último lançamento ‘Map of the Soul: 7’ vendeu quase meio milhão de cópias apenas na primeira semana. Recentemente, eles também conseguiram pela primeira vez na carreira o topo da Billboard Hot 100 com ‘Dynamite’.

Em artigo feito pelo Bloomberg, Lucas Shaw fala sobre a fortuna que o grupo pode gerar para os membros e fundadores.

VEJA TAMBÉM: BLACKPINK é o primeiro grupo feminino a conquistar o topo de parada da Billboard

Cada membro tem ações no valor em cerca de US$15 milhões; e as gravadoras sempre usam seu capital financeiro para adiantar dinheiro aos artistas e manter a propriedade da obra.

O artigo fala como jovens artistas sofrem nas mãos das grandes gravadoras: “Os artistas esperavam que o surgimento da mídia social e do streaming mudasse o poder de volta para suas mãos. Eles não precisam mais de tanta ajuda para promover ou lançar suas músicas”.

“Alguns executivos do setor argumentam que as gravadoras são apenas bancos ou capitalistas de risco, fornecendo dinheiro inicial em troca de uma parte das recompensas finais”, conta.

Os músicas, apesar de terem muito mais poder nos dias de hoje, não sobrevivem sem gravadoras por trás, já que o mercado independente é muito arriscado.

Artistas como Taylor Swift e Kanye West já travaram grandes brigas com gravadoras para ter o direito sobre sua propriedade após contratos frustados.

A indústria musical coreana, em particular, opera em um modelo diferente, o que significa que a gravadora é mais prática com cada artista. Porém, vendo como o mercado está expandindo, os artistas não querem apenas controle sobre sua arte, mas sim ações dentro das empresas que os lançam.

No ano passado, o BTS foi responsável por 97% das vendas da gravadora e os membros detêm menos de 5% do patrimônio da empresa.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio