Caetano Veloso
O cantor e compositor baiano Caetano Veloso (FOTO: Reprodução)

Caetano Veloso entrou numa saia justa após uma mensagem de “feliz aniversário” publicada em homenagem ao seu filho Moreno Veloso.

Hoje, 22, é aniversário de Moreno. Parabéns. Parabéns à vida, à reprodução heterossexual, ao mundo que ganhou um habitante tão luminoso“, disse ele.

Após a publicação, ele foi detonado nos comentários: “Reprodução heterossexual???? Eu tinha uma altíssima estima por você, mas fiquei super decepcionada com comentário”; “enaltecer reprodução heterossexual, coisa mais cafona, mais careta”; “Que merda é essa de parabéns à reprodução heterossexual meu chapa“.

VEJA TAMBÉM: Xuxa desabafa sobre julgamentos: “Puta, loira burra, despreparada”

Outro internauta ainda disse: “Como assim “reprodução heterossexual”? Isso nem existe, cara, ou é assexuada ou sexuada. Por falta desses conceitos básicos o brasileiro acredita tanto em fake news e tão pouco na ciência… e era só falar ‘filho te amo’ mas ficou uma bosta o parabéns hein“.

Caetano Veloso, então, voltou às redes sociais para se retratar: “Contam-me que causou alguma revolta o fato de eu ter celebrado a reprodução heterossexual no meu post sobre o aniversário de Moreno“.

Gozado: só me ocorreu mencionar esse aspecto da real forma em que Moreno foi concebido por estar em contato intenso com a obra do filósofo transgênero Paul B. Preciado (o B. em seu nome é de Beatriz, que é como ele se chamava quando era mulher)“, continuou.

Ainda afirmou: “Festejar o nascimento de uma pessoa pressupunha que a concepção desta tivera origem num ato heterossexual. Esse fato não precisava ser marcado: era “natural” e, portanto, pressuposto“.

Hoje você pode ser lésbica e ter uma mulher que desenvolve no útero dela a criança formada por um óvulo seu e o espermatozóide de um amigo (ou de um anônimo) que não teve nenhuma participação nas atividades sexuais de vocês duas. Dois homens, amantes entre si, podem promover o nascimento de um rebento com o sêmen de um deles mais o óvulo de uma barriga de aluguel“.

E finalizou: “Há mil (e haverá mais) maneiras de se planejar reprodução sem ato hétero. Meu lado homo orgulha-se de ver admitido publicamente que a reprodução heterossexual é, hoje, uma forma entre outras“.