camila cabello
A cantora de ascendência cubana Camila Cabello (FOTO: Reprodução)

Camila Cabello deu uma entrevista reveladora para o site da Variety. A cantora norte-americana falou sobre o grupo Fifth Harmony e sua relação com as integrantes da girlband. Camila comentou ainda sobre Taylor Swift e a polêmica envolvendo a compra da ex-gravadora da artista pelo empresário Scooter Braun.

“Porque sou amiga dela”, explicou Camila explicando sua opinião sobre o assunto. “E alguém na posição dela – que é, tipo, outro nível – mal consigo imaginar quantas vezes ela se viu decepcionada com as pessoas ou com amigos que estavam apenas a usando, que só queriam ser amigas de Taylor Swift ou o que fosse. Estou feliz em estar lá para ela como pessoa. Tipo ‘até quando não é popular [o assunto], eu te apoio. Eu sou sua amiga verdadeira’. Com a questão do Scooter, eu entendo 100% a sua frustração. Como artista de seu calibre sendo sacaneada desta forma e não poder ter as [gravações] master? Isso é ruim”, afirmou. “É de partir o coração dela. E eu acredito que muitos dos sistemas na indústria da música são meio que… confusos. Quando você pensa sobre como os artistas precisam ser escravos para fazer essas coisas, e então você não os possui, é meio que um conceito ridículo”.

VEJA TAMBÉM: Equipe de Pink sobrevive após acidente e explosão de aeronave

Camila contou ainda ter passado por uma situação similar quando participou do X-Factor nos Estados Unidos. “O show da Fox era conhecido por seu contrato opressivo que exigia que seus concorrentes – e seus pais – abrissem mão de muitos dos seus direitos antes do primeiro episódio ir ao ar”, diz a matéria.

Ainda na entrevista, a cantora revelou que não tem nenhuma rixa com Lauren, Normani, Dinah ou Ally, suas ex-colegas de Fifth Harmony. “Não é porque há rivalidade, apenas os rumos de nossas vidas se distanciaram”, disse ela à Variety. “Mas se eu visse alguma delas em uma premiação, eu diria ‘oi’ e seria totalmente legal. Parece que houve um recomeço apenas devido à quantidade de tempo que passou”, afimou.