O compositor cearense Evaldo Gouveia (Foto: Reprodução)

Nesta sexta-feira (29), o cantor, violinista e compositor cearense Evaldo Gouveia morreu aos 91 anos, em Fortaleza, em decorrência da Covid-19. A informação foi confirmada pelo biógrafo do artista, Ulysses Gaspar. Em 2017, Gouveia tinha sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral), que deixou sequelas motoras, quando estava no Rio de Janeiro e acabou voltando para o Ceará.

Autor de “Sentimental Demais” e do samba-enredo “O Mundo Melhor de Pixinguinha”, entre outras músicas, Evaldo teve sua obra bastante interpretada.

As músicas de Gouveia foram interpretadas por cantores consagrados como Altemar Dutra, Nelson Gonçalves, Alaíde Costa e Maysa Monjardim. O cearense fez parte do lendário Trio Nagô, ao lado de Mário Alves e Epaminondas Souza.

VEJA TAMBÉM: Pedreiro gato viraliza na web dançando hit de Ariana Grande

O auge da carreira do artista, veio da parceria com Altemar Dutra (1940-1983). O cearense levou Dutra às casas noturnas de Copacabana, no Rio de Janeiro, e o sucesso do cantor mineiro, interpretando as composições de Evaldo, levou ambos ao ápice.

Roberto Claudio (PDT), prefeito de Fortaleza, divulgou uma nota oficial lamentando a morte de Evaldo e pontuou que o artista “era um verdadeiro trovador, dos velhos tempos que não voltam mais”.

“Sua obra e sua importância na cena musical e cultural do nosso país expressam a riqueza brasileira construída pela arte dos que compõem páginas imorredouras naquilo que melhor expressa a alma humana. Para nós, seus conterrâneos, fica a certeza de que emprestamos ao mundo musical um dos maiores talentos do cancioneiro brasileiro. Evaldo encantou-se de vez, depois de cantar cada pedaço de nossas vidas, de nosso chão e do coração de nossa gente. Parafraseando sua primeira criação, ‘Deixemos que Ele se Vá’, ficando em nossos corações a gratidão e a eterna admiração, numa sincera homenagem a ‘quem teve forças pra cantar. Lá vai Evaldo, vai!!!”, disse Roberto.

Carreira

Evaldo Gouveia nasceu na cidade de Orós, no sul do Ceará no dia 8 de agosto de 1928. A família se mudou para uma cidade próxima chamada, Iguatu, quando ele tinha apenas três meses de idade. Gouveia é referência da Música Popular Brasileira da era do rádio, que teve seu auge no Brasil nas décadas de 1940 e 1950.

A base para o sucesso do cantor no estado do Rio de Janeiro, no final da década de 1940, teve raízes na sua reputação pelos shows em bares de Fortaleza e pelas conquistas de prêmios em programas de calouros da extinta Ceará Rádio Clube, com sede na capital cearense. Após essa fase, Gouveia ajudou na fundação do Trio Nagô, grupo com o qual ele teve uma turnê de shows.