O músico Yuri Fernandes Freire da Silva, conhecido como Dunk (FOTO: Reprodução)

O músico Yuri Fernandes Freire da Silva, conhecido por Dunk, denuncia agressão que sofreu de seguranças do Metrô de São Paulo.

No vídeo publicado por Kauan de Castro, é possível ver dois agentes de seguranças do Metrô tentando imobilizar o artista, enquanto ele sangra no chão. Há um homem, à paisana, os ajudando. “Ó aqui, ó. Sangue de músico no chão”, denuncia o amigo de Dunk, que registra a cena.

VEJA TAMBÉM: Além de Caetano Veloso, Chico Buarque também revela apoio a Boulos

Em seguida, outros guardas se somam aos que imobilizam Yuri e tentam levá-lo do local. Nesse momento, um deles dá um mata-leão, golpe que sufoca o homem.

Um guarda à paisana intimida quem filma a cena quando se revolta com um guarda jogando spray de pimenta no rosto do homem imobilizado. “Filma essa porra então”.

Na publicação feita por Kauan ele afirma que o motivo da agressão foi pelo fato de Dunk estar cantando. “Galera por favor quem for meu fã, meu amigo ou apoiador da arte de rua por favor compartilha esse vídeo, marque veículos de denúncia, por que não pode continuar assim. O  @metrospoficial tá treinando seus agentes pra cada dia ficarem mais truculentos, e sem preparo. Esse no chão é meu parceiro @dunkoficial e a gente tava trabalhando junto hoje, quando os guardas viram nós na plataforma e mandaram a gente ir embora, quando a gente tava entrando no vagão pra ir, eles vieram por trás e o resto você pode ver no vídeo
Por favor compartilhem e denunciem, isso não pode mais acontecer, músicos não são criminosos, somos trabalhadores honestos, levamos arte e alegria pros vagões, nada mais que isso. Peço pra que todos meus amigos famosos que me seguem, se verem Esse vídeo compartilhem, isso não é só um músico do vagão sendo violentado, isso é um colega de profissão sendo agredido por exercê-la. Eu to muito mal até agora, por que eu vi acontecendo e podia ter sobrado pra mim, mas eles são covardes é só focam em 1. Por favor denunciem, compartilhem, vamo fazer esses incapacitados perderem o emprego”.

Assista ao vídeo clicando aqui