Cardi B
A rapper norte-americana Cardi B (FOTO: Reprodução)

O rapper Tekashi 6ix9ine deu um testemunho ontem (dia 18), após fazer um acordo com policiais, de que os rappers Jim Jones e também Cardi B fazem parte da Nine Trey Bloods, gangue investigada pelas autoridades em casos envolvendo tráfico de drogas e assaltos.

Durante um interrogatório, Tekashi assegurou que a rapper é um membro do Bloods, embora ele negue ter copiado o plano da rapper para alçar fama onde ela supostamente incluiu membros da gangue em seus videoclipes.

Segundo o site Page 6ix, Cardi B começou sua carreira sucesso fazendo músicas aonde falava sobre a gangue bloods, inclusive sendo possível encontrar videoclipes aonde ela está rodeada de membros da gangue na web. “Eu sabia quem ela era, mas não prestei atenção”, disse 6ix9ine no tribunal, reafirmando que não “copiou” o que ela fez para ganhar mídia.

VEJA TAMBÉM: Rapper é acusado de forjar o próprio sequestro só para divulgar álbum

Vale ressaltar, que numa entrevista à revista GQ, em 2018, Cardi B admitiu fazer parte da gangue. De acordo com a rapper, ela teria começado a sair com o grupo quando tinha 16 anos. “Eu costumava sair com meus amigos. E eles diziam: ‘Ei, você realmente entende “Você deveria voltar para casa. Você deveria ser um Blood’ E eu fiz. Sim, eu fiz isso.. É quase como uma fraternidade, uma irmandade”, disse na época.

Segundo a Billboard, a gravadora da rapper, a Atlantic Records, publicou um comunicado negando todas as acusações de envolvimento da artista com a gangue.

SITUAÇÃO DE TEKASHI 6ix9ine 

Após denúncias de pedofilia e falso sequestro envolvendo o músico, o artista revelou agora em um depoimento à polícia que chegou a encomendar o assassinato de um rapper rival em 2018, de acordo com informações da revista NME.

O rapper chamado Chief Keith acabou sendo alvo de um atentado em junho de 2018. O músico foi atingido por tiros ao sair de um hotel na Times Square, em Nova York, mas acabou sobrevivendo.

6ix9ine chegou a oferecer US$ 20.000 para um assassino de aluguel, mas depois teria diminuído o valor para US$ 10.000 ao descobrir que o homem tinha breve experiência tendo atirado em somente uma pessoa e ainda errado o alvo.

O depoimento de Tekashi 6ix9ine integra um acordo com a polícia. O músico segue testemunhando contra membros de uma gangue da qual ele já fez parte e que lhe acusam de ter forjado seu próprio sequestro em julho de 2018 apenas para divulgar seu álbum.

Neste ano, o rapper confessou ser culpado de nove acusações envolvendo esse caso, incluindo conspiração de extorsão, vários delitos envolvendo uso de armas de fogo, tráfico de entorpecentes entre outros. O rapper poderá ser condenado a até 47 anos de prisão. A expectativa é que o resultado do julgamento saia em janeiro de 2020.

Em julho de 2018, em meio às denúncias pedofilia envolvendo o músico, Nicki Minaj chegou a ser chamada de “desesperada e hipócrita” após realizar uma parceria com o rapper mesmo com a condenação do músico.