beatles
A legendária banda britânica The Beatles (FOTO: Reprodução)

A descoberta de uma carta até então desconhecida mostra que o ex-integrante dos Beatles, John Lennon estava “fervendo” de empolgação com o retorno ao Reino Unido. A carta traz um telefonema com sua tia Mimi, na noite anterior a ele ser morto a tiros.

Em 8 de dezembro de 1980,  Lennon foi brutalmente assassinado por seu ‘fã’, Mark Chapman quando o cantor tinha 40 anos. O mundo inteiro estava unido no luto pela perda de um dos maiores artistas da música, nas circunstâncias mais trágicas e a tia Mimi de Lennon estava fora de si. Ela desempenhou um papel crucial no cuidado de Lennon ao longo de sua infância, e os dois tiveram um grande vínculo, que durou até o fim amargo e devastador.

Um mês após sua triste morte, Mimi Smith respondeu a uma carta escrita pela jornalista do Daily Express, Judith Simons. O jornalista havia escrito uma carta de condolências após a morte de Lennon. Sua tia respondeu à mensagem, que fornece uma visão fascinante de onde estava o estado de espírito de Lennon .

Querida Judith, obrigado por sua carta, pensamentos amáveis”, escreveu Smith. “Estou tentando aceitar essa coisa terrível que aconteceu, mas acho muito difícil. Ele mesmo tinha muita fé, estou tentando fazer o mesmo. Ele telefonou na noite anterior, espirituoso, engraçado, borbulhando de excitação, vindo muito em breve. Mal podia esperar para me ver. Estou feliz com isso. Se eu estiver em Londres, entrarei em contato com você. Pensamentos bons para você também. Mimi.”

Esta carta foi descoberta recentemente no espólio de Simons pela Tracks Ltd.

O historiador dos Beatles, Mark Lewisohn, comentou: “A carta de Mimi fornece uma confirmação sólida de que, se não fosse seu assassinato, Lennon teria retornado à Grã-Bretanha durante 1981 pela primeira vez em 10 anos, este conhecimento apoiando outras indicações de que ele estava considerando uma turnê de shows.

VEJA MAIS: Empresário se arrepende de festa na casa de Elba Ramalho: “Pedi desculpas”