O guitarrista Eddie Van Halen (FOTO: Reprodução)

Em outubro, Eddie Van Halen, lendário guitarrista e co-fundador do Van Halen, morreu após uma longa batalha contra o câncer na garganta.

A certidão de óbito do artista, emitida pelo Departamento de Saúde Pública de Los Angeles e obtida pelo tabloide TMZ, cita sua causa de morte como acidente vascular cerebral ou derrame – o mesmo que Tom Veiga, o Louro José.

Segundo o Classic Rock, Eddie Van Halen também tinha várias causas subjacentes, incluindo pneumonia, distúrbio da medula óssea, síndrome mielodisplásica, câncer de pulmão e câncer de pele.

De acordo com o Instituto de Neurologia de Curitiba, infartos e AVCs podem aumentar durante o período de isolamento: “Um dado alarmante e que chama a atenção no Brasil é que Nova York, novo epicentro da doença [COVID], teve um aumento de 800% nos casos de morte por ataques cardíacos em casa“.

VEJA TAMBÉM: Morre mãe do sertanejo Cristiano, dupla de Zé Neto

A Dra. Vanessa Rizelio afirma: “Temos observado não só aqui no Brasil, mas no mundo, a diminuição de chegada de pacientes com suspeita de AVC aos hospitais. E quando vão, chegam além do tempo para estabelecer um tratamento que melhora o quadro e evita sequelas (até quatro horas do início dos sintomas)“.

Apesar de ter morrido em decorrência a um AVC ou derrame, Eddie lutava contra o câncer há mais de uma década. O guitarrista estava voando entre os EUA e a Alemanha por 5 anos para receber tratamento de radiação.

Embora tenha fumado inveteradamente por anos, ele acredita que desenvolveu câncer na garganta por causa de uma palheta de metal que costumava segurar na boca há mais de 20 anos.