No último domingo (5), o cantor norte-americano Charlie Puth, de 28 anos, decidiu ir às redes sociais para pedir as ARMYs (como são conhecidas as fãs do grupo coreano BTS), que parem de agir de forma tóxica na internet.

O cantor respondia alguns fãs do grupo em seu perfil no Twitter, enquanto recebia uma chuva de spam de vídeos de Tik Tok o provocando. “Lembra quando você usou Jungkook para aparecer?”, escreveu um internauta, referenciando um dos membros do BTS. Outras mensagens diziam que Charlie Puth usou o grupo para fama.

Vale ressaltar que em 2018, Puth apresentou a música “We Don’t Talk Anymore” com Jungkook na premiação coreana MBC Plus X Genie Music Awards. Por fim, ele elogiu o grupo e pediu uma trégua entre os fãs.

“Normalmente, não me importo com coisas assim, mas algo precisa ser dito… Eu tenho 28 anos, então isso realmente não significa nada para mim quando uma pessoa que eu não conheço me escreve uma mensagem desagradável dizendo coisas como ‘eu usei o BTS para aparecer’. Eu não sei o que isso significa – mas eu amo esses caras e eles são super talentosos”, escreveu Puth.

VEJA TAMBÉM: Vídeos sensuais de Anitta são publicados em site pornô

Charlie ainda aproveitou a ocasião, para fazer um alerta sobre saúde mental e falar sobre bullying: “O que eu sei é que há 10 anos, uma linguagem como essa direcionada a mim me afetaria profundamente de uma maneira muito negativa. E eu estou pensando em todas as outras crianças mais novas no twitter que vivem vendo diariamente coisas assim”.

O artista encerrou o assunto pedindo mais amor e menos mensagens de ódio na internet. “Pode parecer clichê, mas por favor, sejam mais agradáveis ​​uns com os outros aqui. Não há mais gritos sobre bobagens inventadas. Não faz bem a ninguém. Todos nós precisamos nos amar MAIS DO QUE NUNCA AGORA”, escreveu Puth.