pabllo vittar
A cantora maranhense Pabllo Vittar (FOTO: Reprodução)

Em entrevista ao Estadão, Pabllo Vittar falou a respeito dos shows drive-in, que diversos artistas estão fazendo. A cantora deixou claro que não existe possibilidade de fazer um show assim.

 “Como eu vou subir num palco pra drive-in? Quem tem carro no Brasil? Não tem como eu subir num palco sabendo que tem um monte de gente que não está nem podendo trabalhar”, falou a artista.

Há algum tempo a cantora também deu uma entrevista para Quem, onde falou mais sobre o assunto: “Eu não faria, enquanto não tiver uma vacina e as pessoas ainda estiverem morrendo, eu, Pabllo Vittar, não vou para o palco”.

É um sentimento muito triste ver que o governo não está fazendo nada, que as pessoas estão morrendo. Subir no palco para cantar com tudo isso na cabeça é muito louco. Para mim, não vai rolar. Vou esperar até tudo voltar ao normal e a gente possa se abraçar, rebolar nossa bunda do jeito que a gente sabe e voltar com a força que a gente merece”.

LEIA TAMBÉM: Membro dos Beatles chorou de medo ao cantar para um presidente

Pabllo falou também sobre o conservadorismo que avança atualmente no Brasil. “Quando a pessoa é muito conservadora e ela acredita nessa postura, que não pode ver ninguém com autenticidade, conseguindo fazer sucesso. É a mesma coisa que falar pra mim que não existe transfobia no Brasil, que é o país que mais mata as pessoas da comunidade.”

Recentemente, a cantora se posicionou após a sertaneja Marília Mendonça ter uma fala transfóbica durante sua live. No Twitter, Pabllo Vittar escreveu que não existe graça no que viu. Ela postou: “O ano é 2020 e ainda tem gente que acha engraçado fazer piada transfóbica!”.