O astro norte-americano Elvis Presley (FOTO: Reprodução)

Na data de 16 de agosto de 1977, Elvis Presley era encontrado morto na sua mansão de Graceland, localizada em Memphis, no estado do Tennessee. Logo após entrar no banheiro da casa, próximo das 10 da manhã, o artista solo mais vendido da história da música teve um colapso cardíaco fulminante.

A inesperada morte do Rei do Rock aos 42 anos acabou comovendo milhares de fãs que se reuniriam nos dias seguintes em Memphis: as linhas telefônicas ficariam congestionadas por horas, as floriculturas da cidade se esgotariam e uma verdadeira multidão se juntaria na porta da mansão do músico. A ideia de se conseguir ver o corpo do músico com os próprios olhos era forte entre os fãs.

O cantor morreu em 1977 graças a um infarto fulminante
O cantor morreu em 1977 graças a um infarto fulminante – Getty Images

Elvis Presley passou pelo processo de embalsamamento na Memphis Funeral Home e foi levado para despedida oficial no dia seguinte, em 17 de agosto, na própria casa, numa exibição pública do caixão do músico organizada pelo pai do cantor, Vernon. Mesmo aceitando a entrada de quase 30 mil fãs, os familiares optaram por concluir a cerimônia depois de 4 horas, o que acabou deixando milhares de pessoas na calçada, sem poder se despedirem do seu ídolo.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Elvis_in_casket-524x287.jpg
(FOTO: Reprodução)

VEJA TAMBÉM: Katy Perry diz que filha mostrou dedo do meio em ultrassom: “Essa é a minha garota”

No dia seguinte, aconteceu uma cerimônia íntima para amigos e familiares com canções gospel e presenças pra lá de marcantes, como a dos músicos James Brown e George Hamilton. O cadáver do Rei do Rock foi levado para o Cemitério Público de Forest Hill numa limusine e enterrado no túmulo próximo ao de sua mãe e ficou no local. Só que somente por duas semanas.

Uma multidão se reune para conseguir acessar o funeral de Elvis Presley – Getty Images

Em 29 de agosto, três homens foram detidos no mesmo cemitério. A razão? Os bandidos estavam tentando roubar o cadáver de Elvis Presley de seu túmulo. Eugene Johnson, Raymond Green e Ronnie Lee Adkins tentavam roubar a peça funerária que pesava cerca de 400 quilos, contudo, eles não encontraram nenhum equipamento que suportasse o peso do túmulo ou que pudesse deslacrar a estrutura.

Durante a prisão dos indivíduos, Adkins afirmou que era um informante do FBI infiltrado na operação do roubo para obter informações a respeito dum pedido especial. Juntamente de Eugene e Raymond, o agente foi convocado por um capanga de um solicitante, que não chegou a se identificar, e ofereceu nada menos que 40 mil dólares para cada um dos envolvidos no roubo ao cemitério. Os policiais optaram por acatar a versão e os suspeitos acabaram não sofrendo nenhuma penalização.

Adkins disse num depoimento que o cadáver de Elvis Presley seria “sequestrado” e que o valor do resgate seria de nada menos que 10 milhões de dólares com os valores direcionados a família Presley. Um mês depois, os familiares conseguiram uma permissão legal do Conselho de Legislação de Memphis e Shelby para exumar o corpo do astro e realocá-lo no jardim da mansão do músico, juntamente com o corpo de sua mãe. Os restos mortais de Elvis foram deslocados cinco dias depois, onde permanecem em seu jardim de meditação aberto a visitação.

Elvis family graves
As lápides na mansão de Graceland (FOTO: Reprodução)